Um homem, de 19 anos, e do estado de Washington, EUA, foi preso por supostamente ter estuprado uma jovem, que estava inconsciente, em overdose de ópio. Após os supostos Abusos, o rapaz ainda foi se gabar do que aconteceu com os amigos, deixando o corpo da jovem para trás. Brian Roberto Varela, de Lynwood, foi levado preso sob custódia na terça-feira por suspeita de homicídio culposo e estupro em segundo grau, em sequência da morte de Alyssa Mae Noceda, de 18 anos. De acordo com um relatório gráfico da Polícia, Alyssa tinha ido a uma festa em um parque de casas móveis em Lynwood, onde conheceu Varela.

Publicidade

Alyssa, que havia se separado recentemente de seu namorado, seguiu Varela até seu quarto, onde tomou a substância que a deixou em overdose, desmaiando. Algumas testemunhas e o próprio suspeito confessaram isso mesmo, em declarações à polícia. Após a jovem ter desmaiado pelas substâncias que ele deu a ela, para agravar mais ainda sua conduta, em vez de ele pedir ajuda, ou levar Alyssa ao hospital, Varela alegadamente a estuprou. Mais tarde, ele disse a seus amigos que ele não sabia se ela estava viva quando ele ejaculava nela, de acordo com o relatório.

Mais tarde naquela noite, alguns dos amigos de Varela receberam uma mensagem de texto grupal que incluía fotos de uma mulher inconsciente com lábios azuis, inchados. Mais tarde, ele teria se vangloriado a um amigo que Alyssa morreu tendo relações sexuais com ele. Depois disso, o jovem ainda confidenciou a um amigo que ele considerou brevemente levar a garota para o hospital, confessou que ele estava cansado demais para fazê-lo e foi para a cama em vez disso, deixando a adolescente morta, afirmou o relatório da polícia.

Publicidade

Quando acordou na manhã seguinte, ele percebeu que Alyssa havia morrido. Ele supostamente mostrou seu corpo ao colega de quarto, que mais tarde descreveu à polícia que a vítima parecia rígida e tinha espuma ao redor de sua boca. Em vez de entrar em contato com a polícia, Varela trancou seu quarto, com o corpo sem vida da mulher ainda dentro, e foi trabalhar, em uma mudança dupla, ali perto.

No trabalho, Varela alegadamente se gabou no trabalho de ter relações íntimas com Varela e descreveu detalhadamente como ele quebrou as pernas da garota, para carregar seu corpo em um recipiente de plástico, que ele estava planejando encher com cebolas e enterrar.

Um dos colegas de trabalho de Varela contatou as autoridades depois de ver uma publicação no Facebook, escrita pela mãe de Alyssa, informando que sua filha estava desaparecida e pedindo ajuda.

A polícia respondeu a chamada e foi encontrar o corpo da moça, de 18 anos, já sem vida, na casa de Varela. Quando questionado pela polícia, o suspeito de 19 anos admitiu ter tido relações com ela, mas insistiu que o encontro foi consensual. Varela afirmou ainda que ele estava com muito medo de chamar as autoridades.

Publicidade

O jovem está agora detido, com uma fiança de meio milhão de euros, e um promotor da Justiça já argumentou que ele demonstrou um desprezo insensível e chocante para a vida humana. O caso vai agora continuar correndo na Justiça.