Um técnico que trabalhava em um necrotério foi demitido depois que testes revelaram que ele teve relações íntimas com o cadáver de uma estrela de reality show, na Rússia. Oksana Aplekaeva, ex-participante de um reality show na Rússia, o Dom-2, foi assassinada e seu corpo encontrado ao lado de uma rodovia. Quando estava no necrotério, seu corpo foi violentado por um funcionário do local, que teria mantido relações com o cadáver, de acordo com os exames realizados.

O caso remonta em 2008. Foi um motorista de caminhão quem encontrou o corpo, revelando a morte trágica. No entanto, só agora, todos esses anos depois é que foi revelado o que aconteceu logo após a sua morte. [VIDEO]

O assassinato de Oksana nunca foi resolvido e nunca se soube, realmente, o que aconteceu com a jovem estrela de televisão.

Seu assassino nunca foi encontrado, pelos policiais.

Agora, novas informações levaram a Polícia a exumar seu corpo e realizar testes forenses mais detalhados. As provas recolhidas revelaram que a ex-estrela de reality show havia sido violentada após a sua morte, e só agora foi revelado o que aconteceu antes de ela ser enterrada.

Os testes de DNA mostraram que um técnico forense, que trabalha no necrotério, foi o agressor. O acusado foi identificado apenas como Alexander, que tem 37 anos e que continuou trabalhando no local durante todos esses anos.

Porém, após essa grave revelação, ele foi demitido. "Eu não poderia argumentar contra a ciência. Não consegui encontrar um emprego nesses três meses", contou Alexander, que sabe perfeitamente que jamais poderá voltar a trabalhar nessa área. No entanto, ele também não está conseguindo encontrar nenhum outro emprego, possivelmente por todos saberem o que aconteceu.

Não ficam por aí seus problemas, uma vez que sua esposa [VIDEO] pediu o divórcio e ele teve até que mudar seu número de telefone. Alexander trabalhou no necrotério por 12 anos e não havia nenhuma sugestão, nos relatórios russos, de que ele havia interferido com outros cadáveres durante esse período, mas é normal que agora exista alguma desconfiança do que ele poderia ter feito também com outros cadáveres.

A mídia russa informou que Alexander não pode ser punido por sua ação, pois não há lei na legislação no país que trate de tais incidentes. A polícia confirmou que Alexander não teve nada a ver com o assassinato de Aplekaeva, e que foi um caso completamente à margem de sua morte.

Apesar de nunca se ter chegado a uma conclusão, a polícia acredita que o assassino ainda não identificado tenha jogado Oksana fora de um carro em movimento e depois voltou para a cena, um local não revelado na Rússia, para tentar esconder o corpo.