No Brasil e no mundo, casos de abuso sexuais causam tremenda revolta [VIDEO]. Entender como as situações abusivas funcionam é algo difícil. Um caso envolvendo um homem de 29 anos em Paris, na França, por exemplo, causou revolta nas mais diferentes regiões.

Isso porque o acusado de molestar uma criança de apenas 11 anos de idade culpou a garota pelo relacionamento [VIDEO]. A defesa do homem, que não teve o nome revelado, argumentou que a menina de 11 anos não era uma criança e que estava muito ciente do que estava fazendo.

Garota de 11 anos é violentada e abusador diz que ela não é criança

Os advogados do homem acusam a menina de ter se insinuado ao homem.

Os pais da criança revelam que ambos se conheceram em um parque. Eles é que, mais tarde, denunciaram o caso de abuso e chamaram o jovem abusador de predador sexual.

O suspeito diz que pensou que a garota tivesse mais de 15 anos. O homem revela que teria chamado a menina para ir ao seu apartamento e ela o seguiu, onde teria consentido a atividade sexual.

Advogados de abusador culpam menina de 11 anos por estupro dela e tentam liberar cliente

As autoridades da França não registraram o caso como estupro , o acusado será apenas julgado por “abuso sexual de um menor de 15 anos”. No entanto, a defesa argumenta que o cliente foi enganado pela garota, que, segundo os advogados, não seria uma criança, mas, sim, uma adolescente com ciência do que estava fazendo.

A promotoria do caso concordou com a parte de que não houve violência sexual da menina e entendeu que o homem só poderia ser acusado de abuso sexual, o que daria a ele uma pena menor do que estupro.

A acusação, que representa os pais da menina e a própria garota, ficou completamente revoltados com a situação.

Advogada consegue revisão de caso e vítima será ouvida em caso de abuso

A acusação entrou com um pedido de revisão do caso e o juiz aceitou a análise dos advogados de defesa. "É uma vitória", disse a advogada de acusação sobre a decisão do juiz, que pediu a revisão do caso no Fórum de Pontoise, que fica no subúrbio de Paris. "O principal é que a menina poderá, pelo menos, ser ouvida como uma vítima de estupro", disse a advogada Carine Diebolt ao falar sobre o caso, que tomou conta da França.

No Brasil, o estupro é considerado quando existe relação sexual, ainda que a pessoa consinta o ato, quando a pessoa tem menos de 14 anos. Acima dessa idade, o estupro apenas é considerado quando a vítima não consente no ato sexual. Alguns casos, como o de uma garota de 16 anos, do Rio de Janeiro, tornaram-se conhecidos em todo o território nacional.