O Irã anunciou no último sábado (10) a detenção de um número não revelado de agentes que espionavam instalações importantes do país a trabalho de serviços de inteligência estrangeiros, como a Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA) e o serviço secreto israelense (Mossad) [VIDEO]. Os agentes utilizavam câmeras especializadas e disfarçadas para espionar zonas estratégicas, como as que o Irã utiliza para testes de mísseis.

A desculpa dos agentes era que estavam fazendo observações sobre o meio ambiente, segundo o canal iraniano HispanTV. Eles buscavam compilar informações secretas do governo do Irã. “Essas pessoas estavam reunindo informação arquivada sobre campos estratégicos sob a cobertura de projetos científicos e ambientais”, afirmou o procurador-geral de Teerã, Abbas Jafari-Dolatabadi.

Agentes infiltrados

Na semana passada, as autoridades iranianas já haviam denunciado outra operação de agências de espionagem estrangeiras no país. O general de brigada Hassan Emami, vice-diretor da Organização de Contra-Inteligência do Corpo de Guarda Revolucionária Islâmica (CGRI) do Irã, afirmou que está comandando o monitoramento de atividades de infiltração [VIDEO] em suas fileiras.

“As agências de espionagem estrangeiras estão atrás da coleta de informações, da contratação de espiões e da infiltração em lugares sensíveis, em centros de pesquisa, na Força Aeroespacial do CGRI, na Força Quds e em outros centros”, declarou o militar, mencionado pela agência iraniana Fars News.

Condenações

O Irã costuma ser rigoroso com espiões estrangeiros capturados, geralmente trabalhando para boicotar o programa nuclear do país persa.

No final de janeiro, um agente foi condenado a dez anos de prisão por ter transmitido informação secreta sobre a indústria elétrica e nuclear para agências estrangeiras.

De acordo com a HispanTV, ele se reuniu 14 vezes com oficiais do Mossad para passar as informações em troca de receber 140 mil euros (564,5 mil reais). No último trimestre do ano passado, outras quatros pessoas também foram condenadas a dez anos de prisão cada uma por espionarem para os EUA.

Além disso, um homem recebeu a pena de morte por estar envolvido junto ao Mossad no assassinato de cientistas iranianos. Segundo a Fars News, todo ano o governo da República Islâmica do Irã identifica e aprisiona agentes acusados de trabalhar a serviço de redes de espionagem estrangeiras, ligadas especialmente aos EUA e Israel.