Em meio a uma onda de terríveis abusos familiares, outro caso virou notícia depois que um pai foi acusado de abusar sexualmente, deixar com fome e torturar as filhas gêmeas, que tiveram diminuída a capacidade mental e comportamental. O acusado de ter cometido o crime foi identificado com o Jerry Lee Curry, de 51 anos, residente de Minneapolis, nos Estado Unidos.

Ele submeteu as gêmeas, que hoje estão com 20 anos, a oito anos de cativeiro e abusos sexuais [VIDEO]. Ele também engravidou uma delas duas vezes, um filho nasceu em junho de 2014 e outro em outubro de 2017.

De acordo com as acusações, os abusos ocorreram ao longo de oito anos, até que uma das gêmeas escapou da casa dos horrores e conseguiu alertar as autoridades em maio passado.

Ela havia sido dada como desaparecida pela mãe e foi encontrada no abrigo do Exército da Salvação.

A mãe de 48 anos está foragida da Polícia. As delações apresentadas contra o pai também o acusam de abusar de uma terceira filha de 10 anos. As autoridades declararam que a gêmea que fugiu de casa sofreu "lesões consistentes com o abuso". Os funcionários do serviço humanitário retiraram a outra vítima mais nova [VIDEO] da casa em 9 de maio.

Em junho, a jovem que fugiu revelou às autoridades que os abusos haviam começado quando seus pais perceberam que ela se tornou sexualmente ativa. Acorrentada por vários dias, com as mãos amarradas atrás, ela também costumava ser espancada por Curry. Era comum que ela usasse uma corrente em torno dos tornozelos, que ficava fixada na porta do quarto dos pais.

Dessa forma, a circulação dela na casa era limitada e também "para impedir que ela visse homens". De acordo com as denúncias, os pais também negavam comida para as filhas. A outra vítima disse que também não se alimentava direito.

Os exames de DNA do acusado e de uma da moças confirmaram que ele era pai dos filhos dele e pai biológico das gêmeas também. [VIDEO] "Ele me forçou a ter relações sexuais. Ele me fez ter relações todos os dias desde que eu estava na adolescência. Ele fez isso com a minha irmã gêmea também”, disse uma das vítimas.

Ela foi diagnosticada por psicólogos com um nível de deficiência intelectual de leve a moderada e que é incapaz de viver por conta própria. A vítima tem a orelha esquerda maior e cicatrizes na testa, no couro cabeludo e nas costas, o que, segundo suas denúncias, foram causadas pelas sessões de tortura.

Ela também tem uma perna atrofiada por ser acorrentada tão forte nos tornozelos. Isso chegou a provocar gangrena e a jovem quase teve que ter as pernas amputadas.

A outra gêmea compartilhou como o pai as agredia com murros, bastões e vassouras se elas se comportassem mal.

As gêmeas muitas vezes ficavam nuas e acorrentados, perto de suas fezes e urina, enquanto os pais faziam uso de drogas e álcool com os pagamentos de invalidez feitos pelo seguro social. Curry foi preso na quarta-feira (21) após as acusações contra ele serem formalmente aceitas por um Tribunal de Justiça. O juiz estabeleceu uma fiança de US$ 750 mil (R$ 2,43 milhões) para que o pai possa responde ao processo em liberdade.