Esse crime mostra que a maldade human [VIDEO]a realmente não tem limites. Um jovem de apenas 19 anos, foi capaz de cometer um ato brutal e extremamente cruel contra uma vítima de uma overdose de drogas, ao invés de ajudá-la a sobreviver. O pior de tudo, é que após cometer o crime, o suspeito foi trabalhar normalmente, como se nada tivesse acontecido. Para muitos, esse rapaz que vive em Washington, nos Estados Unidos, é mais um psicopata, que ao menos, foi identificado pelas autoridades e está com a liberdade contada. Brian Roberto Varela foi preso por abusar sexualmente de uma garota [VIDEO]que estava tendo uma overdose de drogas. Não apenas isso, tirou fotos para mandar aos amigos, se gabando do momento e ainda deixou a vítima para morrer.

O suspeito foi preso pelas autoridades norte-americanas na última quinta-feira (8), na cidade de Lynnowood, no estado de Washington. Colegas de trabalho do criminoso contaram que ele chegou ao serviço novamente se gabando do que havia acontecido. Quando os trabalhadores perceberam a postagem da mãe no Facebook, afirmando que a sua filha estava desaparecida, tudo foi conectado. Imediatamente, os colegas de Varela ligaram para a polícia, que conseguiu prender o suspeito.

Ainda na terça-feira (6) pela manhã, policiais da cidade norte-americana haviam encontrado o corpo de Alyssa Mae Noceda, de 18 anos, em um saco plástico em uma residência em Martha Lake. A jovem estava desaparecida desde que saiu para uma festa, no sábado (3).

Quando preso, o suspeito contou que já conhecia a jovem há algum e que os dois conversaram muito pela rede social Snapchat.

De acordo com o criminoso, Alyssa havia terminado o namoro e procurou Varela, que o levou para seu apartamento. Já antes do crime, o suspeito era conhecido por vender diversos tipos de drogas, como maconha.

Varela, então, deu uma combinação mortal para a jovem, que entrou em overdose. Ao invés de levá-la para o hospital, o suspeito abusou dela. Amigos que receberam mensagens e fotos da garota nua, disseram que o suspeito se vangloriava, afirmando que não sabia se quando acabou o ato ela estava viva ou morta. Todos afirmavam que ele deveria levá-la para um hospital, pois ela ainda poderia estar viva. Ao voltar do trabalho, o criminoso foi dormir. Quando acordou no dia seguinte, a garota estava morta.

Para os colegas de trabalho, o suspeito dizia que havia tido relações na noite anterior, mas que precisava enterrar um corpo. Foi quando pesquisaram sobre a garota e acionaram os policiais. As autoridades ainda contam que o jovem já havia quebrado as pernas da garota para colocá-la em um saco plástico.

E depois, iria enterrar o cadáver com cebolas, para esconder o cheiro.

Além de tudo que fez, para despistar as autoridades, o assassino ainda desbloqueou o telefone da vítima, usando os dedos dela, para dar a impressão de que ela fugiu, como já aconteceu. Depois, pesquisou na internet como esconder um cadáver. Por último, jogou o celular em uma área florestal, próxima do seu trabalho.

Agora, o jovem aguarda em julgamento e deve pegar a pena máxima.