Uma mulher ajudou o namorado a abusar sexualmente da filha por mais de seis anos porque acreditava que a menina tinha um demônio no corpo. Segundo os relatos, Celia Beatriz Sosa, de Buenos Aires, na Argentina, forçou a filha a ter relações sexuais com o namorado, Sergio Eduardo Gimenez.

De acordo com a imprensa local, ela foi presa e condenada a 14 anos de prisão, enquanto o Gimenez está foragido da Justiça.

Mãe deixava namorado abusar da filha acreditando que ela estava com demônio no corpo

Conforme informações repassadas pela Polícia, a vítima era abusada pelo namorado da mãe na casa dele.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

De acordo com a mãe da menina, Gimenez dizia que o abuso sexual ajudaria a enteada a livrar-se do demônio. O casal começou a violentar a menina quando tinha apenas 8 anos de idade.

Os abusos repetidos resultaram em uma gravidez quando a vítima estava na adolescência. [VIDEO]

Na época, ela foi enviada para o Paraguai para fazer aborto. Com o apoio da avó, a menina conseguiu denunciar os abusos em 2015. A menina atualmente está com 17 anos. Ela revelou que, várias vezes em que foi molestada, Gimenez estava bêbado e sempre dizia que a ela tinha um demônio, conseguindo fazer com que sua mãe acreditasse nele.

"Ele sempre estava bêbado, e eu nunca gostei dele. Ele disse que eu tinha um demônio em mim e minha mãe começou a acreditar", disse a garota durante o julgamento realizado esta semana em Buenos Aires.

Vítima disse que os abusos começaram quando tinha apenas 8 anos

"Tudo começou quando eu tinha oito anos e ela me acordou para me dizer para fazer coisas com ele. Eu não queria, é claro.

Antes de ir para a cama, ele dizia para não adormecer. ‘Você sabe o que você tem que fazer’, ele dizia e minha mãe estendia minhas pernas e me batia com um cinto. Eu tinha que fazer essas coisas. Às vezes, ele me tinha noite toda. Às vezes, ele usava preservativos, às vezes, não", acrescentou.

A vítima revelou o abuso sexual que sofria para a avó, que a ajudou a apresentar uma queixa contra Gimenez e a mãe. A avó a acompanhou quando teve de fazer exames ginecológicos e psicológicos para comprovar os abusos. Após o julgamento, Celia Sosa foi enviada para a prisão feminina de Ezeiza, localizada em Buenos Aires.

Ela cumprirá pena de 14 anos de prisão por ajudar Gimenez a abusar sexualmente da filha. Já o abusador está foragido e é procurado pela Interpol.

Leia também

Pai mata a filhinha de 2 anos com 7 golpes de punhal [VIDEO]

Mulher é violada por vários homens e têm barra de ferro introduzida nas partes íntimas [VIDEO]