A mente humana é realmente algo que pode ir do bem ao mal extremo em poucos segundos. Quem imaginaria que um homem seria capaz de destruir literalmente sua própria parente sem sequer sentir algum tipo de remorso? Foi o que aconteceu na Índia, na capital Nova Délhi, no último final semana de semana. O fato que chocou todo o mundo veio à tona por conta de uma denúncia de uma ativista que deu voz ao crime bárbaro contra um bebê.

Publicidade
Publicidade

O caso em questão, o crime sexual contra o bebê foi promovido por um primo da criança estuprada. O homem de 28 anos abusou de forma violenta da criança de apenas oito meses e a deixou à beira da morte. Segundo o portal CM Jornal de Portugal, a criança chegou ao hospital desacordada e, apesar de viva, está em estado gravíssimo. O violentador criminoso foi localizado e foi preso assim que os pais denunciaram os abusos.

Publicidade

Caso veio à tona por ativista

O crime aconteceu no último domingo (28) e ganhou notoriedade e relevância mundial depois que Swati Maliwal, recém-empossada diretora da Comissão para as Mulheres, foi ao hospital para checar o fato e trouxe toda a verdade às redes sociais. Em sua publicação depois de conhecer todo o caso assusta pelo conteúdo, mas traz a verdade de países em desenvolvimento. 'O que devemos fazer?

Como Delhi pode dormir neste dia enquanto um bebê de apenas oito meses foi brutalmente estuprado na capital do país? Será que somos tão insensíveis ou até decidimos aceitar isto como nosso destino? Onde está a sena que atacou um ônibus escolar para "proteger a honra"? Ninguém para fazer perguntas do sistema agora?', escreveu a ativista chocada com toda a brutalidade do crime.

Ativista pediu ação do governo da Índia contra crimes contra crianças e mulheres

Descrevendo o que viu também como horrível, ela estava completamente transtornada e não entendia como um ser humano poderia ser tão bestial com seus atos.

Muito emocionada, ela revelou que depois de acordar, o choro da criança era completamente alto e estridente e era possível ouvir de longe. Segundo ainda seu relato, os ferimentos do bebê atingiram órgãos internos que foram dilacerados pelos abusos.

A mulher ainda comunicou as autoridades de seu país, incluindo o primeiro-ministro, Narendra Modi, e clamou por leis mais rigorosas contra este tipo de atitude.

Publicidade

Ela também exigiu das autoridades maior policiamento nas áreas mais distantes do centro para que as mulheres da Índia tenham sua integridade preservada.

Mais sobre o mundo bizarro

Mãe que revelou que amamenta e transa ao mesmo tempo recebe pior castigo

Grávida que tirou fotos com 20 mil abelhas recebe triste notícia em seu parto

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo