Conforme pesquisas, a cada 8 minutos, uma criança é assaltada sexualmente e 93% dos agressores estão em uma posição de confiança ou responsáveis pelo cuidado da vítima, como um membro da família, um amigo, um professor entre outros. Os sobreviventes de abuso sexual muitas vezes podem se sentir culpados por não ter conseguido parar o abuso. Porém, é importante lembrar que uma pessoa abusada não tem culpa de nada, mas sim o agressor.

Alguns sobreviventes experimentam flash-backs ou memórias dolorosas enquanto se envolvem em atividades sexuais sem seu consentimento.

Publicidade
Publicidade

Algumas vítimas de abusos mantêm o abuso em segredo por muitos anos. Eles podem ter tentado dizer a um adulto e se encontraram com resistência ou sentiram que não havia ninguém em quem pudessem confiar.

Um homem foi preso e condenado há 27 anos de cadeia por abusar de três irmãs com idade de 12 e 14 anos, no estado de Ohio, nos Estados Unidos. O acusado de ter cometido o crime foi identificado como Arnold Perry, de 34 anos. De acordo com a promotora assistente do condado de Mahoning, Jennifer Mc Laughlin, antes da sentença na quinta-feira (8), o agressor abusou da confiança da família das meninas depois que a mãe das vítimas permitiu que ele se mudasse para sua casa quando não tinha onde morar.

Uma das vítimas sofreu um aborto

Segundo informações da imprensa local, as meninas foram abusados entre os anos de 2015 e 2016. A promotora disse que uma das gêmeas teve um aborto enquanto as irmãs tiveram os bebês, pois suas gravidez foram descobertas muito tarde para fazer aborto. "Essas meninas vão sofrer o resto de suas vidas por causa disso", disse McLaughlin.

Perry declarou-se culpado em novembro em duas acusações de estupro e uma acusação de agressão sexual.

Publicidade

Seu pedido de apelação exigiu uma sentença de 25 anos. O advogado de defesa, Mark Lavelle, disse no tribunal que Perry era o caso mais hediondo que já havia tratado, mas argumentou que seu cliente deveria ser condenado a 15 a 16 anos de prisão. Lavelle disse que Perry sofreu uma lesão cerebral quando criança que o impede de ter sentimentos sobre suas ações. Perry pediu desculpas antes da sentença.

“Eu sei agora o que eu fiz foi errado. Eu gostaria de poder retomá-lo", disse o condenado.

Conforme informações, a mãe das meninas disse que está criando dois bebês, e que a família do acusado não a está ajudando financeiramente. Perry deve ser registrado como um agressor sexual pelo resto da vida, após o cumprimento da pena.

Leia também

Mulher fica irreconhecível depois de ser proibida de comer pelo próprio avô

Pai engravida filha biológica e ambos afirmam que vão se casar

Leia tudo