Todos sabem o que o Estado Islâmico faz [VIDEO] com soldados ou até jornalistas de países considerados inimigos. Tendo isso em mente, o soldado russo Roman Filipov, de 33 anos, decidiu tomar uma atitude extrema quando o seu caça caiu em território sírio e ele se viu cercado por jihadistas. O oficial pegou uma grana e decidiu se explodir, tudo para que ficasse longe dos terroristas. Como se sabe, os reféns do EI acabam virando produto para vídeos de assassinatos, tudo com o objetivo de assustar ao resto do planeta.

Um vídeo do momento está circulando na internet e mostra o exato momento em que o soldado russo explode a granada.

Nas imagens, que são rápidas – com cerca de 12 segundos, pode-se ouvir o russo gritar, “This is for our guys” (“Isto é para nossos caras”, em tradução literal).

Foi contado também que antes de se explodir, o soldado trocou tiros com os terroristas. Quando caiu, Filipov tentou entrar em contato com a base russa na Síria. Nesse momento, ele havia executado dois jihadistas. Mas, quando percebeu que a sua situação era crítica, decidiu colocar um fim em tudo.

Antes do vídeo ser descoberto, autoridades russas descobriram fotos e vídeos dos terroristas celebrando a morte do piloto. Naquele momento, parecia que Filipov havia sido assassinado pelos jihadistas. Porém, com a divulgação do vídeo do momento, tudo foi esclarecido.

O Ministro de Defesa da Rússia fez uma declaração do fato. De acordo com a autoridade, Filipov lutou até o último segundo de sua vida, esperando para detonar o explosivo quando os terroristas se aproximaram.

O governo russo também decidiu homenagear o soldado com o maior mérito concedido, a medalha de Herói Russo. Com ou sem medalha, o soldado já estava sendo chamado de herói por veículos da Rússia e também da Europa inteira.

Com o caso do piloto, no entanto, surge uma questão muito importante. O caça de Filipov foi abatido com um lança-foguetes moderno, o que preocupa o governo russo. Dmitry Peskov, o porta-voz do Kremlin, afirma que é “terrível” que uma arma tão poderosa tenha caído na mão de terroristas. Em um segundo momento, os russos pretendem investigar quem está fornecendo armas tão poderosas para o Estado Islâmico.

Após o fato, o governo russo promete aumentar as operações na Síria, em partes, parece retaliação ao que aconteceu com o seu piloto. No entanto, os comandantes do exército prometem que irão focar apenas em prender e desarticular os terroristas.