Ao menos 55 morteiros e mísseis disparados por rebeldes [VIDEO] desde o subúrbio damasceno de Ghouta Oriental atingiram bairros residenciais do centro e de outras regiões de Damasco, capital da síria, nesse sábado (24).

Segundo fontes ouvidas pela Agência Árabe Síria de Notícias (Sana, na sigla em inglês), cerca de dez civis foram feridos pelos ataques, que causaram danos materiais a edifícios residenciais e outras instalações, como uma mesquita no bairro de al-Joura, centro velho de Damasco.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

No leste de Damasco, na área de al-Abbasiyyin, um civil foi ferido por um franco-atirador.

Por outro lado, em outro reporte, a Sana reproduz a manchete da edição deste domingo (25) de um jornal local que afirma que duas pessoas morreram e dezenas ficaram feridas “em ataques dos grupos terroristas com 58 foguetes e morteiros contra bairros residenciais de Damasco e seus arredores”.

Avanço do exército sírio

Unidades do Exército Árabe Sírio, força oficial do Estado, começaram a avançar por Ghouta Oriental neste domingo, segundo o canal iraniano Hispan TV, que cita alguns meios de comunicação que cobrem o conflito in loco.

As tropas iniciaram a operação terrestre a partir da região sudeste desse subúrbio de Damasco e teriam avançado cerca de dois quilômetros até a publicação desta matéria. Ainda de acordo com o mesmo veículo de imprensa, o exército sírio já teria causado enormes baixas nas forças do grupo terrorista Jaysh al-Islam, a principal organização armada que controla Ghouta Oriental.

Conforme o site árabe Al Masdar News, ontem chegaram a Damasco as Forças Tigre, unidade de elite do exército. Seus efetivos participam da ofensiva para retomar Ghouta Oriental, agora na operação terrestre, uma vez que até o momento o governo estava atacando somente com bombardeios e ataques aéreos.

Também segundo esse portal, ontem a Tahrir al-Sham Hayat (outra organização que controla parte de Ghouta Oriental e que é formada por terroristas ligados à al-Qaeda) atacou forças do exército com um carro bomba na tentativa de impedir sua entrada no enclave.

ONU

Ainda nesse sábado, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução para estabelecer o cessar-fogo de 30 dias na região.

Síria, Rússia e Irã (que formam uma aliança para lutar contra o terrorismo e defender a institucionalidade na Síria) criticaram a decisão (embora a Rússia tenha votado a favor) por, alegadamente, proteger grupos terroristas [VIDEO].

O embaixador do país árabe na ONU, Bashar al-Jaafari, afirmou que seu país tem o direito de se defender de ataques terroristas provenientes de Ghouta contra civis.

“Nós praticamos um direito soberano de auto-defesa [VIDEO] e vamos continuar a lutar contra o terrorismo em qualquer lugar que ele esteja dentro de solo sírio”, disse, citado pela Sana.