Pesquisa mostra que as profissionais do sexo, mais popularmente conhecidas como prostitutas, e que trabalham em locais conhecidos como ‘cabarés’, ou ‘casa de shows’, ou até mesmo ‘prostíbulos’, estão cada vez mais largando mão de espaços físicos para fazerem atendimento aos seus clientes através da internet. Elas divulgam as suas marcas na web, analisam os clientes que entram em contato com elas e marcam o encontro profissional em locais do interesse delas e dos clientes. [VIDEO]

De acordo com a pesquisa feita pelo portal “Beyond the Gaze” (Além do Olhar – na tradução livre para o português), na Inglaterra, as prostitutas estão preferindo fazer atendimento em suas próprias casas, ao invés de estarem correndo risco de vida nos prostíbulos [VIDEO].

Elas também estão fugindo de sequestro, assaltos e brigas nos próprios ‘cabarés’.

E para quem acha que as moças têm perdido clientela com essa decisão, é totalmente o contrário: além da segurança de fazer atendimento pela internet, em casa, as prostitutas também conseguiram aumentar o número de clientes e diminuir o número de problemas, como sequestros, por exemplo. [VIDEO]

Dados da pesquisa

“Adoro o meu trabalho. Para mim, ele oferece flexibilidade e a oportunidade de cuidar dos meus filhos”, conta uma profissional do sexo, procurada para falar sobre o estudo divulgado por Teela Sanders, diretora de pesquisas e professora do departamento de criminologia, na Universidade de Leicester, localizada ao norte da Inglaterra

A pesquisa estudou 641 profissionais do sexo e descobriu que cerca de 80% delas já decidiram não marcar mais presença nos cabarés.

De acordo com a diretora, os níveis incrivelmente baixos de violência contra as mulheres que trabalham nessa área impressionou os pesquisadores e mostrou um outro lado, ou seja, uma escapatória para as mulheres que ganham a vida dessa forma.

Nível de satisfação é maior para o homem

“Os níveis mais baixos de violência são interessantes”, diz Sanders, que leva em conta a situação dos cabarés, onde em boa parte das vezes aparecem homens completamente bêbados, drogados ou criminosos, que decidem ir para os prostíbulos para descontar suas prováveis ‘raivas’ nas mulheres que lá estão trabalhando.

Além disso, com a internet, as prostitutas também conseguem ganhar dinheiro sem sequer sair de casa para fazer um programa. O novo modelo de prazer pode ser considerado como um modo ‘seguro’ de fazer sexo.