A pequena cidade de Longyearbyen, na Noruega, está localizada em uma área bastante remota do planeta, mais especificamente no arquipélago de Svalbard, num dos locais mais ao Norte do planeta. Devido a ser muito próximo do Polo Norte, a cidade pode passar até meses sem ver a luz solar. Apesar disso, a vida em Longyeardyen não chega a ser tão triste quanto parece, pois, o lugar foi tão abençoado pela natureza, tanto é que os moradores do local se sentem privilegiados.

Assim como todos os seres vivos que habitam a terra, as pessoas que vivem nessa pequena cidade também são mortais, mas o que chama a atenção é que os moradores do local (cerca de 2000 habitantes) são proibidos de morrer na cidade.

E a explicação para isso está nas baixíssimas temperaturas registradas na região, pois isso faz com que os corpos não se decomponham. Com isso, no ano de 1950, o governo decretou uma lei que proibe que os moradores de Longyearbyen morram na cidade.

No ano de 1918, uma epidemia de gripe causou várias mortes nessa região da Noruega, e muitos anos depois alguns cientistas resolveram exumar os corpos das pessoas que foram vítimas da epidemia. O resultado da exumação foi chocante, pois alguns corpos conservaram vírus por até 80 anos depois da morte, e esses vírus podiam inclusive infectar moradores.

De fato, não há como impedir que as pessoas morram [VIDEO]algum dia, mas a criação da lei que proibe os habitantes de morrerem no local fez com que quando as pessoas cheguem próximas da morte, sejam levadas até o continente, para que possam ser enterradas.

Se a pessoa optar por não deixar a ilha, seu corpo deve ser cremado após a sua morte [VIDEO].

Outro fato curioso sobre Longyearbyen é que não só os funerais que são escassos na região, mas também os nascimentos. O lugarejo conta com um pequeno hospital que pode fazer partos, mas geralmente as mulheres optam por dá à luz a seus filhos no continente. Isso por que lá elas contam com mais conforto, e com mais segurança caso ocorra alguma complicação no parto.

Já ocorreu em outros lugares

Essa estranha lei de não poder morrer na cidade em uma cidade já foi implantada em alguns outros lugares do planeta. No ano de 2012, os moradores do município italiano de Falciano del Massico também foram proibidos de morrer na localidade. o motivo para isso foi a falta de cemitério na cidade, porem a lei foi quebrada várias vezes.

Outras cidades que implantaram mais a mesma lei, mas não tiveram sucesso foram Lanjarón, na Espanha, e Sarpourenx, na França. No Brasil, uma tentativa de promulgar essa lei foi registrada na cidade de Biritiba-Mirim, interior de São Paulo, por falta de cemitério. No entanto, a lei foi vetada e não chegou a entrar em vigor.