Esse final de semana virou de discussão para um crime bárbaro, o estupro. [VIDEO]Uma adolescente, de apenas dezesseis anos, foi estuprada no meio da rua, no Marrocos. A menina, que estava usando uniforme de escola, é violada sem que ninguém faça nada. O agressor bate na garota e a joga no chão. Em seguida, ele retira as suas calças e começa a fazer toques em sua genitália e também no ânus. O caso aconteceu há dois meses, no entanto, o vídeo mostrando o abuso da vítima, que não foi identificada, ganhou tônica nessa sexta-feira (30). Isso porque as imagens foram divulgadas apenas agora justamente por quem cometeu o estupro. [VIDEO]

Discussão sobre estupro e leis no Marrocos aumentam, após estuprador divulgar vídeo de abuso

O vídeo mostra que pelo menos duas pelos cometeram o crime.

Além do abusador, que mostra seu rosto nas imagens, o amigo dele faz o conteúdo sem piedade. A menina em nenhum momento aceita ceder aos encantos do violentador e ele não consegue completar o ato sexual. Por isso, acredita-se que, para humilhá-la ainda mais, o homem fez questão de divulgar as imagens.

Não para por aí. Não é de hoje que s leis sobre violência sexual ganham protestos no Marrocos. Por lá, a legislação é pouco severa aos homens que cometem esse crime. O vídeo, no entanto, reacendeu como nunca o debate. De acordo com informações de meios de comunicação internacionais, muitas manifestações foram realizadas pedindo uma reavaliação diante de tudo.

Abusador pode ficar impune no Marrocos, mesmo após vídeo comprovando ato libidinoso

Ao todo, o vídeo tem cinquenta segundos. Na maioria dos países, o estuprador identificado nas imagens seria preso.

No entanto, as leis Marroquinas desfavorecem e muito as mulheres. Até mesmo os veículos de comunicações árabes de mostram divididos quanto ao tema. Alguns ensinam as mulheres a tentarem se defender de homens. Até golpes foram desenhados em alguns jornais. Outros pedem que os políticos desenvolvam leis mais severas, afastando um pouco o mundo dos homens da religião.

Muitas das leis árabes tem como total fundamento o alcorão. Ainda assim, até religiosamente tal crime não costuma ser bem visto. Embora o teor básico das numerosas reações é que Estado e sociedade não interferem o suficiente no combate à violência sexual, fato é que, por diversas vezes, o governo do Marrocos já reagiu à forte pressão da opinião pública. O Marrocos é uma monarquia e o processo de pressão popular pode colocar riscos ao reino. Por isso, acredita-se que esse caso possa ser um passo importante nesse tipo de política no país.