O relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e especialista independente desse organismo para a Promoção da Ordem Internacional Democrática e Equitativa, Alfred de Zayas, afirmou que as sanções econômicas impostas pelo governo dos EUA contra a Venezuela têm o objetivo de “fazer sofrer” o povo do país sul-americano.

“Na minha opinião como professor de Direito Internacional e antigo secretário do Comitê de Direitos Humanos [da ONU], sanções que causam a morte de crianças por desnutrição, falta de água potável, falta de medicamentos que causam mortes por falta de insulina, remédios contra o câncer, contra a malária, por falta de equipamento médico e material técnico, constituem um crime contra a humanidade, especialmente porque são intencionais, sádicos, quer fazer sofrer”, declarou ao jornal venezuelano Últimas Notícias.

O acadêmico norte-americano adotou uma postura crítica às ações do governo dos EUA em relação à Venezuela, especialmente desde que visitou o país caribenho no final de 2017. Durante uma semana, o enviado independente da ONU se encontrou com representantes de 35 ONGs (Organizações Não-Governamentais), membros do governo, políticos de partidos opositores, deputados aliados e adversários do governo, empresários e representantes de movimentos sociais e de entidades tradicionais da sociedade civil, como a Igreja Católica e familiares de vítimas de violência.

Além disso, ele apurou informações a respeito da situação dos direitos humanos e da economia da Venezuela, concluindo que “não há crise humanitária” no país (como comentou à rede de televisão Telesur).

Segundo ele, as sanções econômicas implementadas pela administração do presidente estadunidense Donald Trump desde meados do ano passado contra dirigentes do governo venezuelano e a estatal petroleira Petróleos da Venezuela (PDVSA), ao invés de atingir seus supostos alvos, na verdade estão aumentando a crise vivida pelo país.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

“As sanções contra a Venezuela têm agravado a crise econômica causada pela queda do preço do petróleo, ao ponto de causar uma grave escassez de medicamentos e alimentos, desabastecimento, demoras na distribuição, etc. Como consequência disso, crianças venezuelanas têm morrido, assim como adultos e idosos”, denunciou ao Últimas Notícias.

Ainda em declarações ao jornal, de Zayas afirmou que existe espaço para o governo venezuelano acusar os EUA de violação dos direitos humanos e de crime contra a humanidade.

A ONU estabeleceu mecanismos de apuração e condenação a sanções unilaterais em 2000 e 2015, que se enquadrariam às medidas efetuadas pelo governo norte-americano.

“Em vista de que as sanções não são acidentais, mas planejadas e deliberadas, existe responsabilidade penal, e a situação deve ser elevada à Assembleia-Geral com o objetivo de adotar resoluções que claramente declarem as sanções ilegais e criminosas”, explicou.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo