A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou de forma unânime um pedido de habeas corpus que impedisse a prisão de Lula [VIDEO], após condenação em segunda instância, nesta terça-feira (6). Os cinco juízes que compõem o colegiado decidiram pela negativa da solicitação da defesa, que agora só resta esperar uma posição do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO].

Curiosamente, dos cinco ministros que compões a Quinta Turma, quatro foram nomeados durante os mais de 13 anos do governo do PT. Somente Felix Fischer foi nomeado por Fernando Henrique Cardoso, ainda no século passado. Fisher é o relator da Lava Jato na Corte e foi o responsável por dar o voto mais robusto com relação a situação do ex-presidente Lula.

Os outros quatro casos, um foi nomeado por Lula, e os outros três foram nomeados por Dilma.

A decisão tomada pela Quinta Turma do STJ já era esperada. Em outros nove casos idênticos ao do ex-presidente Lula, os cinco representantes decidiram adotar a interpretação do STF de 2016 e continuar com a execução de pena após condenação em segunda instância. Resta agora saber se a Suprema Corte do País irá trazer o assunto novamente para a pauta e se a interpretação dessa vez será diferente e favorecerá Lula.