Em 24 de fevereiro, entre às 15h30 e 16h15, pilotos de aviões comerciais das empresas Phoenix Air e American Airlines observaram um objeto voador não identificado (ovni/UFO [VIDEO]) a cerca de 40 mil pés. No momento do avistamento eles estavam a 37 mil pés, voando sobre o estado do Arizona, próximos à fronteira do Novo México (EUA).

Surpresos, comunicaram o aeroporto de Albuquerque, no estado do Novo México. Conforme Tyler Rogway, jornalista do portal de notícias The Drive, especializado em assuntos militares e responsável por averiguar as informações, ele obteve a gravação do áudio original no mês de março, diretamente do controle de tráfego aéreo da FAA de Albuquerque Center.

O áudio inicial exibe a voz do piloto da companhia Phoenix Air questionando a torre de controle a respeito do incomum tráfego acima dele. Ao ouvir do controlador que nada fora visualizado pelos radares, o piloto afirma ter notado um objeto desconhecido.

Apesar da censura subliminar que envolve esse tipo de acontecimento, o comandante da American Airlines ouve a conversa, entra na frequência e diz: “um ovni [VIDEO]”. O colega da outra empresa concorda com a alegação e responde “sim”.

O áudio continua com o funcionário da torre solicitando para o aviador da American Airlines avisá-lo, caso ele volte a constatar alguma anomalia nos próximos 15 quilômetros.

Durante a conversa, o piloto da Phoenix Air, treinado para identificar aeronaves de todos os tipos, admite desconhecer a estrutura que voa próximo a eles.

“Não sei o que era, não era um avião, mas sim - o [ovni] estava indo na direção oposta", fala.

Na sequência, o aviador da American Airlines complementa a observação do colega. "Sim, algo passou por nós, eu não sei o que era, mas era pelo menos dois mil e duzentos metros acima de nós. Sim, passou por cima de nós", enfatiza.

Na ocasião, o modelo dos aviões envolvidos no incidente era um jatinho Learjet (Phoenix Air) e o Airbus A320 (American Airlines). O episódio durou cerca de seis minutos.

Nada a declarar

O jornalista à frente da investigação revela surpresa com a “aparente” falta de interesse da Administração Federal de Aviação (FAA) a respeito do fenômeno. Segundo Tyler Rogway, um representante da FAA disse desconhecer o episódio. Salientou também que o supervisor do Centro de Albuquerque desconhecia o evento.

Enfim, pilotos relatam o surgimento de uma aeronave não identificada no espaço aéreo norte-americano, altamente vigiado e militarizado depois dos ataques de 11 de setembro de 2001, e simplesmente as autoridades não demonstram interesse.

“Isso parece um pouco estranho, considerando que algum tipo de nave não identificada estava voando por rotas aéreas altamente trafegadas em altitudes de jato que não tinham um transponder, não apareciam no radar e não estavam se comunicando com o controle de tráfego aéreo”, avalia Rogway.

Até o momento, autoridades permanecem em silêncio. Ouça o áudio na íntegra.