Explosões de smartphones tornaram-se comuns, o que levou as grandes marcas a investirem para manter os modelos seguros. Séries de incidentes foram relatados sobre smartphones explodindo ao usá-lo, e o último caso envolve um aparelho Nokia, que resultou na morte de uma adolescente identificada como Uma Oram, de 18 anos.

A jovem da aldeia Kheriakani, no estado indiano de Odisha, morreu depois que seu telefone explodiu enquanto a bateria estava sendo recarregada e ela estava usando para conversar com um parente. [VIDEO] Segundo o jornal britânico Daily Mail, a explosão do telefone deixou várias feridas em uma das mãos, no peito e em uma das pernas da adolescente.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

Segundo informações, a vítima ainda foi socorrida e levada para um hospital, mas acabou morrendo assim que deu entrada na unidade médica. "À medida que a bateria do telefone celular estava descarregando, ela colocou para carregar enquanto conversava ao mesmo tempo", disse o irmão de Oram, Durga Prasad Oram.

"O telefone celular estava carregando quando ela começou a conversar com um parente. Antes que pudéssemos saber o que exatamente aconteceu, ela caiu inconsciente”, acrescentou.

Imagens da vítima, que são extremamente fortes, foram divulgadas juntamente com o telefone queimado, um aparelho Nokia 5233. Não há informações sobre o que desencadeou a explosão. Porém, falar no telefone enquanto ele está carregando é amplamente considerado inseguro, segundo os fabricantes.

As explosões de telefones celulares são muitas vezes causadas por acessórios falsificados, como a bateria ou o recarregador. [VIDEO] Nesse caso, não está claro se a bateria do Nokia foi substituída ou se o carregador utilizado não era original.

A fabricante compartilhou seus sentimentos sobre o incidente, mas o licenciado da marca de telefone finlandesa, a HMD Global, esclareceu que não fabricou o modelo Nokia em questão. [VIDEO]

"Embora não tenhamos sido capazes de verificar de forma independente os fatos de nenhum desses relatórios, podemos confirmar que o celular em questão não foi fabricado ou vendido pela HMD Global, a nova casa dos telefones Nokia, criada em 2017 para criar um nova gama de dispositivos Nokia.

Como a HMD Global, estamos empenhados em produzir aparelhos de alta qualidade que ofereçam uma experiência ao usuário forte e que atendam as altas expectativas dos clientes", afirmou a HMD em comunicado.

Outro acidente envolvendo uma marca de smartphones, a Xiaomi, virou notícias no ano passado, quando um celular Redmi Note 4 explodiu. Nesse caso, o aparelho não estava carregando, mas um comerciante simplesmente inseriu o cartão SIM no telefone e o equipamento começou a pegar fogo.