Charlotte Thomson, uma enfermeira de Newcastle, aos 19 anos, não fazia ideia de que ela estava grávida, já que estava tendo períodos menstruais regulares, com a barriga chata e sem chutes do bebê.

A Surpresa

Naquele mês, Charlotte notou que havia engordado 1,5 kg e estava com mais sono do que o habitual. "Eu ainda conseguia entrar nas minhas roupas, mas eu simplesmente ignorei. Um mês depois, ela acordou com dor, correu para o banheiro e sua calcinha estava cheia de sangue." Eu sabia que algo estava seriamente errado e então chamei um táxi para ir ao hospital."

Chegando ao hospital, o médico constatou que ela estava grávida e já perto de ter a criança.

Publicidade

Charlotte ficou espantada e disse ao médico que devia ser um engano - já que ela não tinha sentido absolutamente nenhum sintoma que indicasse gravidez. Mas dez minutos depois, uma parteira realizou um ultra-som nela.

"Ela revelou que eu estava grávida de nove meses e já estava entrando em trabalho de parto."

"Eu não podia acreditar, pois minha barriga era completamente plana. Eu entrei em pânico já que não estava preparada e não comprei nada de roupas ou enxovais para bebês. Eu estava ainda mais preocupada com o que meus pais diriam quando descobrissem que eu estava tendo um bebê.

Eu explodi em lágrimas quando eles chegaram, e disse-lhes que não fazia ideia de que estivesse grávida. "Eles foram bastante solidários comigo e ficaram entusiasmados com o primeiro neto deles".

Duas horas depois, Charlotte deu a luz à Molly, um bebê saudável com 3,1 kg. "Assim que eu segurei Molly, eu já a amava tanto. Ela era perfeita e tivemos uma ligação instantânea."

O que aconteceu?

O doutor explicou que ela não sentia nenhum chute do bebê porque Molly tinha sido deslocada para debaixo de suas costelas.

Publicidade

Charlotte nem sequer lutou para perder peso que no caso seria do bebê - pois ela não via o porque de emagrecer, já que tudo parecia dentro da normalidade. Ela disse: "Felizmente, eu ainda vestia tamanho 42 e não precisava perder o peso que na verdade seria do bebê dentro de mim. "Molly agora se juntou ao berçário em que trabalho, para que assim eu possa levá-la sempre comigo, o que é perfeito." Aos 21 anos e falando da nova vida com Molly agora, Charlotte ainda acrescenta: "O pai de Molly é um ex que já não está mais em jogo, mas eu tenho muita ajuda de meus pais com o bebê.

Foi assustador me tornar uma mãe pela primeira vez sem aviso prévio. Mas eu não trocaria Molly por nada nesse mundo, e eu me sinto muito sortuda."