Mesmo em meio a uma grande crise econômica, a Venezuela foi o país da América do Sul que mais recebeu imigrantes em 2017, totalizando 1,426 milhão, quase o dobro que o Brasil, que acolheu 736 mil. O país sul-americano favorito para os imigrantes no ano passado foi a Argentina (2,165 milhões).

Os dados foram divulgados recentemente no Relatório da Migração Internacional 2017, elaborado pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais do Secretariado das Nações Unidas.

Publicidade
Publicidade

Entre os imigrantes que chegaram à Venezuela em 2017, a esmagadora maioria veio da Colômbia (988.483), de acordo com os dados que haviam sido adiantados em meados do ano passado pela ONU. Por sua vez, o órgão indica que o número de venezuelanos que foram para a Colômbia, no mesmo período, foi de 49.829.

No topo do ranking de países de origem dos imigrantes que chagaram à Venezuela, constam também Espanha (75.744), Portugal (55.441) e Itália (51.863).

Publicidade

Como comparação, o Brasil recebeu 37.663 espanhóis, 45.541 italianos e a Argentina recebeu 1.147 portugueses. Além disso, chegaram no país caribenho 11.417 estadunidenses e 15.875 sírios, tornando a Venezuela o país mais acolhedor de refugiados da Síria na América do Sul, superando de longe o Brasil (2.526) e a Argentina (1.544).

O fluxo de migrantes entre Brasil e Venezuela, segundo o relatório da ONU, foi de 9.634, dos quais 6.119 saíram do Brasil para a irem viver na Venezuela e 3.515 fizeram o caminho contrário.

Entre os países da América do Sul, a Venezuela foi o primeiro país escolhido por migrantes de 20 países do mundo, entre os quais Síria, Sérvia, Arábia Saudita, Montenegro, Equador e Colômbia. Ela recebeu, por exemplo, mais espanhóis, italianos e mexicanos que o Brasil.

Já em relação à Argentina, o fluxo de migrantes com a Venezuela foi de 10.098 emigrando da primeira para a segunda e 1.286 emigrando da Venezuela para a Argentina.

Emigrantes

Por outro lado, segundo o relatório de dezembro de 2017, o número de pessoas que emigraram da Venezuela para outros países ao redor do mundo chegou a 657.439. Isso representa 2,1% da população, que é de 31,5 milhões.

Uma porcentagem ligeiramente menor do que a dos emigrantes argentinos, que chegou a 2,2% da população da Argentina (977.209). O Brasil, de acordo com tais informações da ONU, tem 1.612.860 cidadãos que emigraram no primeiro semestre de 2017 (0,77% da população).

Publicidade

O país sul-americano com o maior número de cidadãos que emigraram é a Colômbia, com 2.736.230, representando 5,6% de sua população.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo