O Papa Francisco [VIDEO], da #Igreja Católica, está cada vez mais apoiando a homossexualidade [VIDEO]nas Igrejas Católicas, e isso está influenciando o Brasil, que, visando a importância de um Papa, também estão apoiando igualmente. Apesar de a Doutrina do Catecismo ser contra os #LGBT (Lésbicas, #Gays, Bissexuais e Transsexuais) que são sexualmente ativos participem da Eucaristia, Francisco vem apoiando a ideia de permiti-los nas igrejas como e serem tratados iguais à todos.

A Pastoral da Diversidade Sexual de São Paulo se reúne por volta de dez anos em um trabalho para acolher os homossexuais. Formada por cerca de 200 pessoas, entre elas têm gays, transexuais, entre outros gêneros, os mesmos vêm realizando o trabalho de "acolhimento" por meio de missas e reuniões, dando liberdade à todos poderem comungar, independente de sua opção sexual.

Francisco sempre se mostrou a favor de homossexuais terem direitos iguais nas igrejas católicas, há algum tempo o mesmo disse que, se há uma pessoa homossexual, e a mesma está em busca de Jesus, e há boas vontades e intenções em seu coração, ele, e nem ninguém é capaz de julgar esta pessoa, e que o Catecismo não deve "marginalizar" essas pessoas pela sua opção sexuais, as mesmas precisam ser integradas à sociedade, e que todos devemos ser irmãos e ter compaixão pelo próximo.

Jamais algum Papa deve questionar ou contrariar a doutrina oficial da Igreja, que no Catecismo, considera a prática homossexual (não a tendência), um pecado grave.

Nunca houve algum outro Papa que revogou o ensinamento doutrinário, apenas o Papa Francisco expressou o que a Igreja ensina, dizendo dos que têm a tendência homossexual todos que fazem parte disso devem ser respeitados, serem tratados igualmente, e receber apoio da igreja, compaixão e jamais distingui-los dos demais, pois sua opção sexual não define seu caráter, e que evitem qualquer indícios de discriminação injusta com os mesmos.

Apesar do Papa Francisco pedir respeito, igualdade, e dizer todas essas coisas, o mesmo disse que o casamento entre as pessoas do mesmo gênero não está entre os desejos de Deus.

O Papa ainda disse sobre o casamento gay, que não pode ser equiparado com a família tradicional, e que as relações das pessoas do mesmo gênero não devem ser equiparadas simplificadamente ao matrimônio, e completou dizendo que não há união precária à transmissão da vida garante o futuro da sociedade.