O governo da Venezuela inaugurou nessa terça-feira (20) a moradia de número dois milhões desde que foi criado o programa social “Gran Misión Vivienda Venezuela” (‘’Grande Missão Moradia Venezuela’’, em tradução literal), em 2011.

Em cerimônia ocorrida no conjunto habitacional Mirador de Caiza, no estado de Miranda, o presidente do país, Nicolás Maduro, saudou a marca alcançada e anunciou a intenção de ter cinco milhões de moradias [VIDEO] construídas na Venezuela para os próximos anos.

“Já estou sonhando com dezembro de 2019 quando entregarmos a moradia de número três milhões e desde já trabalharemos para cumprir o sonho da moradia cinco milhões”, declarou Maduro, que concorrerá à reeleição em maio deste ano.

A Grande Missão Moradia Venezuela (GMVV, na sigla em espanhol) foi criada pelo ex-presidente Hugo Chávez [VIDEO] em abril de 2011 para atender as famílias afetadas pelas fortes chuvas que ocorreram no país em 2010 e 2011, mas logo em seguida se estendeu para toda a população de baixa renda do país.

A meta estipulada pelo governo foi construir três milhões de moradias populares até 2019. No ano passado foram inauguradas 572.979 habitações, segundo a Agência Venezuelana de Notícias (AVN).

Maduro afirmou ainda que a crise econômica induzida e as sanções impostas pelo governo dos Estados Unidos não diminuíram os esforços da administração venezuelana em relação à implementação desse programa social.

“Neste tempo de perseguição financeira ninguém pode deter a Grande Missão Moradia Venezuela. Em 2017 fizeram guarimbas, tentativas de golpe de Estado [VIDEO], mas ninguém nos deteve e aqui estamos entregando a moradia dois milhões”, disse o mandatário, se referindo aos protestos opositores que geraram uma onda de violência no ano passado.

De acordo com a rede de notícias Telesur, o projeto é reconhecido internacionalmente e deverá incluir mais 500 mil moradias em 2018. Conforme dados sobre o histórico do programa divulgados pela Vice-Presidência venezuelana, passaram-se quatro anos e oito meses até a inauguração da moradia de número um milhão (dezembro de 2015).

Desde então, o tempo para a construção da habitação de número dois milhões caiu pela metade. A partir do final de 2016, a velocidade na construção das casas e apartamentos aumentou, passando de uma média de seis meses para uma média de aproximadamente um mês e meio a cada 100 mil inaugurações. Se o programa continuar nesse ritmo, o governo venezuelano terá cumprido sua promessa de construir três milhões de moradias até o final de 2019.