A Bíblia é um livro considerado sagrado pelos cristãos há milhares de anos [VIDEO]. Como a maioria das pessoas do Mundo são cristãs, é quase impensável que alguém ainda tenha alguma dúvida a respeito dos valores que a Bíblia traz, porém, o governo chinês tomou uma atitude inesperada nos últimos dias [VIDEO], proibindo a livre comercialização do livro sagrado.

Logicamente que a notícia abalou a comunidade cristã do mundo todo, principalmente os que residem na China, Mesmo com a maioria da sua população sendo politeístas e crendo em religiões como Hindu e Budismo, existem milhões de chineses que são cristãos. O governo alega que os valores do livro sagrado dos cristãos não são bons para a política social que a China rege.

Rede BBC fez uma grande reportagem sobre o assunto que gerou polêmica no mundo inteiro

O governo socialista do maior país do mundo simplesmente retirou as Bíblias das estantes virtuais das livrarias on-line em todo território chinês. A medida visa cumprir com as mais novas regulamentações que estipulam um controle rígido de literatura internacional, que não esteja em concordância com os “valores principais do socialismo”.

A rede de televisão do Reino Unido BBC fez uma série de reportagens relatando que os exemplares das Escrituras Sagradas que ficavam disponíveis no mercado virtual misteriosamente desapareceram. A coincidência é que a medida foi logo depois da divulgação de um documento chamado: “As Melhores Políticas e Práticas para Proteger a Liberdade de Crença Religiosa". A comunidade cristã alega que esse documento é uma clara tentativa do governo chinês fazer censura com o direito do cidadão ter livre-arbítrio para escolher sua religião.

Qualquer meio de comércio de Bíblias na China só é permitido em igrejas autorizadas pelo governo.

O governo estuda a possibilidade de adequar a Bíblia aos moldes do seu governo comunista

Ainda na reportagem da BBC, os jornalistas garantem que o governo do presidente Xi Jinping está estudando uma maneira de oferecer uma versão modificada das Escrituras, a ideia do governo é fazer com que as pessoas que queiram ler a Bíblia vejam similaridades com o modelo socialista do país. Esforços estão sendo feitos para que uma nova interpretação seja lançada no mercado o mais breve possível.

Com a popularização dos meios eletrônicos, principalmente a internet, a China tinha 'afrouxado' um pouco o controle sobre as religiões estrangeiras no seu território, mas parece que com o novo documento emitido, o maior país do mundo deu um passo atrás novamente.