A detenção do ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a doze anos e um mês de prisão pelos crimes [VIDEO] de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, está sendo abordada por vários meios de comunicação internacionais, e a seguir são apresentados alguns destes destaques.

A rede britânica [VIDEO] BBC salientou que o político "se refugiou" no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC paulista – onde permaneceu por dois dias – após o juiz Sérgio Moro ter expedido o seu mandado de prisão, o qual foi autorizado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Divisão de Porto Alegre. Também lembrou que as acusações que resultaram na prisão do ícone do Partido dos Trabalhadores foram resultado de investigações conduzidas dentro da Operação Lava Jato, a qual alcança políticos de outras siglas partidárias.

O The New York Times afirmou que a prisão de Lula foi uma "reviravolta ignominiosa" em sua "notável carreira política", ressaltando que o ex-presidente – filho de trabalhadores rurais analfabetos – se destacou como um líder sindical na época do Regime Militar, sendo uma peça-chave na fundação do PT.

Além disso, o referido jornal americano também deu ênfase ao discurso que o político fez após a celebração ecumênica realizada neste sábado (7) no Sindicato dos Metalúrgicos em homenagem à ex-primeira dama, Marisa Letícia, falecida no dia três de fevereiro de 2017. Entretanto, o periódico relatou que "durante suas últimas horas de liberdade, Lula pareceu reconhecer que sua carreira política acabou – pelo menos por enquanto", e mencionou que a esquerda brasileira agora se encontra sem um "óbvio porta-estandarte".

Mais destaques

A agência francesa AFP (Agence France Presse) disse que a tentativa dos militantes do Partido dos Trabalhadores de impedir que Luiz Inácio Lula da Silva se entregasse à Polícia Federal foi "caótica", e definiu o desenrolar das horas que antecederam a detenção do ex-presidente como um "drama político febril" – o qual mesclou o "estilo carismático" do líder do PT com "uma luta épica" das autoridades brasileiras contra a corrupção sistêmica presente nos escalões mais elevados da administração pública.

Até mesmo a agência árabe Al Jazeera deu destaque à prisão do ex-presidente, descrevendo os eventos ocorridos em São Bernardo do Campo nas 48 horas que antecederam o início do cumprimento da sentença que foi imposta ao político. Em contrapartida, a Al Jazeera recordou que Lula deixou o cargo de mandatário do Brasil – ocupado por ele de 2003 a 2011 – com uma elevada taxa de aprovação de 83% (por parte da população), e que Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, já o chamou de "o político mais popular da Terra".