No início dos anos 50 até o fim dos anos 60, a Agência Central de Inteligência (CIA) usou cobaias humanas para fazer bizarros [VIDEO] testes de controle mental usando alucinógenos (LSD) e outras técnicas. Conhecido como projeto MKULTRA, o experimento, cujos documentos estão disponíveis para o público, foram arquivados.

Porém, o interesse das agências governamentais em controlar o pensamento das pessoas continuou. Ao menos é o que indica uma série de arquivos divulgados em 20 de abril pelo jornal britânico Daily Mail.

“O governo dos EUA [VIDEO] pode ter secretamente coletado documentos sobre controle mental remoto e apagamento de memória forçada, sugerem arquivos acidentalmente vazados”, noticia o periódico.

Segundo o Daily Mail, eles foram expostos pelo jornalista Curtis Waltman, que trabalha para a organização sem fins lucrativos MuckRock, de Boston. A entidade tem a função de tornar público materiais sigilosos do governo por meio do Ato de Liberdade de Informação.

Apesar da imprensa achar que os responsáveis pelos documentos falharam em conferir o conteúdo antes de liberar as informações, a temática exposta parece ter saído de um episódio do seriado Arquivo-X.

Pesquisas sobre armas psicoeletrônicas e forças eletromagnéticas para induzir dor intensa, coceira e até mesmo rigor mortis, constam nos documentos fornecidos pelo Washington State Fusion Center, um afiliado do Departamento de Segurança Interna que fornece compartilhamento e análise de informações.

O jornalista responsável pela descoberta destaca que tudo aconteceu por acaso.

Diz que ao solicitar informações sobre grupos de supremacia branca e ativistas da extrema esquerda, acabou com o sinistro material em mãos.

Waltman confidencia que os misteriosos arquivos constavam em uma pasta compactada, misturada entre documentos sobre contraterrorismo, detecção de atividades criminosas, planejamento de desastres e segurança cibernética, enviados por e-mail pelo Washington State Fusion Center.

“Entre os registros esperados, incluindo e-mails, briefings de inteligência e boletins, havia um arquivo compactado chamado ‘efeitos EM no corpo humano’. Os arquivos detalham vários dispositivos e técnicas que visam manipular a mente humana”, diz.

O Daily Mail contatou o governo. Porém, até o momento o jornal não obteve respostas.

Os arquivos

Eles variam de uma técnica bizarra chamada “audição de micro-ondas” até o “mapeamento remoto do cérebro”. Essa tática, em teoria permite que uma terceira pessoa monitore os pensamentos dos alvos. Ou seja, se você caro leitor, estiver na ‘lista negra’, possivelmente o governo está fazendo de tudo para controlar sua mente...

Confira abaixo os três arquivos exibidos na imprensa.

Armas psicoeletrônicas (psicotrônicas)

Embora não exista definição oficial para o termo, teóricos da conspiração sugerem que elas podem ser empregadas para ler e controlar a mente das vítimas. Também podem ser usadas para transmitir pensamentos e sons nas mentes das pessoas.

Todavia, vale ressaltar que esses sintomas são interpretados como distúrbios psiquiátricos - esquizofrenia, bipolaridade etc.

Além disse, os alvos são vítimas de sintomas físicos diversos. Eles variam de desmaio, tontura, vômitos, mal-estar, arritmia cardíaca etc.