As agências de noticiários internacionais e os líderes de diversas nações receberam com entusiasmo o encontro entre os líderes das Coreias do Sul, Moon Jae-Kim e o do Norte, Kim Jong-um, embora haja um contido receio nos noticiários jornalísticos e nas palavras dos líderes de outras nações. Esse não foi o primeiro encontro entre líderes das duas Coreias após a divisão da península ocorrida em 1948.

A Coreia era governada pelo Japão desde 1910, quando em 1943 em conferência realizada no Egito foi estabelecido pela República da China, Reino Unido e Estados Unidos da América (EUA) que a Coreia teria sua independência declarada após a segunda grande guerra. Dois anos mais tarde em outra conferência realizada na cidade de Yalta, na Criméia foi definido que a URSS exerceria influência sobre o território.

Ainda em 1945 ficou acertado que a Coreia seria dividida sem o consentimento de sua nação.

Com a vitória dos aliados liderado por EUA e a antiga União das Repúblicas Socialistas Soviética (URSS) sobre o eixo, liderado pela Alemanha e que contou com o apoio do Japão, dentre outros, a Coreia foi ocupada ao Norte pelo exército vermelho e ao Sul pelo exército americano. Dessa forma as duas potências dividiram a península Coreana.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades

Em 1950 o exército do Norte invadiu o lado Sul do território Coreano, dando início a guerra que durou 3 anos, estima-se que morreram nos combates mais de duas milhões de pessoas.

Em 1953, foi assinado o armísticio, criando a zona desmilitarizada na fronteira entre os dois países. Esse tratado colocou um ponto final na guerra, mas não restabeleceu a paz definitiva entre as duas nações que vivem em meio as ameaças de novos conflitos na região.

Alguns episódios fizeram aumentar a tensão entre os países ao longo dos anos, como a morte de 2 soldados americanos, aliados do Sul, por soldados do Norte, ou ainda o ataque de um submarino norte-coreano a uma corveta sul-coreana que afundou, causando à morte de 46 marinheiros em 2010.

Esse encontro rompe com o clima hostil ao qual as grandes potências bélicas e econômicas passam, ora Donald Trump ameaça liquidar o ditador norte-coreano, ora Kim Jong-um diz estar preparado para atacar os USA. Com a mesma tensão vivem os líderes da Russia, Vladimir Putin e Donal Trump, presidente americano, e este com o ditador Sírio Bashar al-Assad.

O que o encontro promovido por Kim Jong-um e Moon Jae-Kim tem de diferente dos encontros de seus antecessores

Diferentemente das tentativas de proximidade de outrora, este foi antecedido por um momento ímpar de união entre os povos. O mundo aplaudiu o desfile de abertura das olimpíadas de inverno disputada em PyeongChang, Coreia do Sul em fevereiro passado, quando as delegações norte-coreana e sul-coreana desfilaram juntas sob a mesma bandeira, as duas nações formaram um só time para a disputa dos jogos.

Essa atitude demostra que o povo dos dois lados querem a abertura de diálogo.

No entanto a primeira tentativa de diálogo após o armísticio ocorreu em 2007, quando os líderes norte-coreano, Kil Jong-il, pai do atual presidente, e o líder sul-coreano, Roh Moo-hyun, sem no entanto chegarem a um concreto acordo de paz, antes porém, o sul-coreano, Kim Dae-Jung, presidente do país de 1997 a 2003 também visitou a Coreia do Norte.

Assim como no último encontro entre líderes dos dois países ocorridos entre os presidentes do norte, Kin Jong-il e o presidente do sul, Roh Moo-Hyn, datado de 2007, os atuais líderes plantaram uma árvore num gesto de união, uma pedra com os dizeres "plante paz e prosperidade" foi colocada no lugar do plantio.

O mundo aguarda ansioso pelos próximos dias, o próximo passo para a paz entre as nações dos dois países será a reunião entre famílias que vivem em lados opostos da península e quer por anos não se veem.

Donald Trump também promete se encontrar com Kin Jong-um, este evento está sendo muito aguardado por todos e deve ocorrer ainda este ano.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo