Um grande fenômeno geológico está acontecendo no continente africano. Nos últimos dias, fortes chuvas, tremores de terra e inundações estão ocorrendo em Mai Mahiu, que é uma pequena comunidade rural localizada no Quênia, mais especificamente a 50 km da capital do país, Nairóbi.

Mas, sem dúvida, o fato que mais chamou atenção e assustou os moradores da região e do restante do mundo ocorreu no dia 18 de março, quando uma enorme fenda começou a se abrir.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Algumas atividades sísmicas têm sido registradas na região, além de inundações constantes. Uma estrada que liga Nairóbi a outra cidade do país, Narok, foi destruída pela cratera, afetando milhares de pessoas.

Eliud Njoroge, morador do vilarejo, relatou em entrevista à agência de notícias Reuters que a esposa ficou desesperada ao ver a terra se abrindo e começou a pedir ajuda dos vizinhos para tirar os objetos que tinha na casa. A fenda, que começou a se abrir bem no meio do piso da sua casa, obrigou Njoroge a abandoná-la. Outros moradores da região também tiveram de deixar suas residências.

O geólogo David Adede também deu entrevista à Reuters, alertou que a fenda está se abrindo quase que formando uma linha reta, ou seja, é perfeitamente possível fazer uma projeção de para onde está indo. Portanto, se for constatado que a fenda está se aproximando de uma região habitada, deve-se imediatamente evacuar o local.

A enorme cratera, em alguns locais já tem 20 metros de largura e 15 de profundidade, se estende por cerca de 10 quilômetros de comprimento.

Especialistas no assunto estão ligando esse acontecimento a uma falha em uma placa tectônica, conhecida como Vale da Grande Fenda, ou Vale do Rift, localizada na parte Oeste do continente.

Ainda segundo os geólogos que estão estudando o fenômeno, este é um sinal claro de que em alguns milhões de anos a África [VIDEO]irá se separar e virar dois continentes. O continente africano já passou por uma grande separação, a cerca de 138 milhões de anos atrás. A separação resultou na formação da atual América do Sul, e deixou o África [VIDEO]como se conhece hoje.

O Vale do Rift se estende por cerca de 3 mil quilômetros, começando no Golfo do Adén, na região Norte do continente, indo até o Zimbábue, no Sul da África, e divide a placa africana em duas partes de extensão parecidas.

A geóloga Lucía Pérez Díaz, pesquisadora da Universidade Royal Holloway, afirmou que esta fenda é única no planeta, pois permite que qualquer pessoa veja "ao vivo" cada etapa do seu processo de abertura e consequente separação continental.

Segundo ela, a placa tectônica que compreende a região sofreu a sua fissura mais importante há cerca de 30 milhões de anos, na região da Etiópia. Esta fissura tem aumentado cerca de 2,5 centímetros anualmente.

Ainda segundo a pesquisadora, quando a quebra da placa se completar, a formação de um novo oceano irá ocorrer. Passados alguns milhões de anos, as águas do novo oceano se espalharão por toda a fenda. Então será inevitável um alagamento de parte do continente africano, que terá seu tamanho bastante reduzido.

Quando isso acontecer, uma grande ilha terá se formada no Oceano Índico, que será composta por terras que hoje compreendem a países como Etiópia e Somália, além da região conhecida como o Chifre da África.

Vale ressaltar que, segundo o pesquisador italiano Carlo Dogliani, podem existir outras fendas como essa em outras regiões do planeta, mas que são desabitadas, e por isso não se tem notícia. Então, segundo ele, o evento não é uma total novidade. Sendo assim, não representa algo de grande emergência ou que deva preocupar a humanidade, pois o processo de separação do continente só se concretizará em alguns milhões de anos.