Um faxineiro encontrou um pequeno tesouro dentro de uma lixeira no Aeroporto Internacional de Incheon, na Coreia do Sul. Ele achou sete barras de ouro maciço, que juntas valem aproximadamente R$ 1 milhão. As barras tem o peso de 1 quilo cada uma e foram encontradas enroladas em jornal de uma lata de lixo do aeroporto, enquanto o funcionário esvaziava as lixeiras.

O faxineiro, cujo nome completo não foi revelado pela imprensa sul-coreana, imediatamente alertou as autoridades alfandegárias do aeroporto após ter encontrado as barras de ouro.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Futebol

Elas contataram a polícia local, que levou as barras de outro para análise.

Segunda os policiais que investiga o caso, as barras foram descartadas supostamente porque o dono teria medo de ser pego em posse delas.

Ainda não foram encontrados indícios de que as barras de ouro tenha a origem de atividade criminosa.

Através de imagens capitadas pelas câmeras do aeroporto, a polícia identificou um homem que seria o proprietário do ouro. Ele foi filmado juntamente com dois homens, que supostamente teriam descartado as barras na lixeira.

Segundo informações da polícia sul-coreana, os três homens estavam viajando de Hong Kong para o Japão e fizeram escala na Coréia do Sul na tentativa de passar sem serem notados e conseguir passar com ouro sem que a alfandega revistados. Porém, acabaram ficando com medo de serem pegos e acabaram descartando as barras na lixeira do aeroporto.

Uma fonte [VIDEO] policial relatou ao jornal Chosun Ilbo que é muito comum os criminosos contrabandearem barras de ouro para o Japão passando pela Coreia do Sul.

Este tipo de crime teve um aumento quando o Japão aumentou impostos sobre produtos comprados no exterior de 5% para 8% em abril de 2014.

No início do ano, sete mulheres [VIDEO] da Coreia do Sul foram pegas contrabandeando ouro para o Japão depois que um escaneamento detectou blocos de metal, cerca de 200 gramas de ouro gravados no abdômen.

Segundo informações do jornal The Korean Times, o faxineiro ainda tem direito de 5% a 20% do valor de mercado das barras de ouro, variando de US$ 16 mil a US$ 65 mil (R$ 56,5 mil a R$ 229,5 mil), caso o proprietário reivindique o tesouro encontrado.

Há a ainda a possibilidade do faxineiro ficar com todo tesouro. Na Coreia do Sul, existe uma lei que diz que se algo for encontrado e ninguém procurar durante o prazo de seis meses, o sortudo poderá ficar com o objeto perdido. Mas, se o ouro for considerado contaminado ou ligados a atividades criminosas, nem os donos e nem o lixeiro poderá ficar com as barras.