De acordo com o site Wales Online, um homem de 60 anos de idade foi proibido pela Justiça do País de Gales – nação que integra o Reino Unido [VIDEO] – de possuir Animais de estimação pelos próximos 10 anos em consequência de um ato abominável [VIDEO]: ele abusou sexualmente de dois cachorros machos que lhe pertenciam.

O caso envolvendo Robert Gwynn ocorreu na cidade de Caerphilly, sendo que as duas vítimas são os cães chamados Taff e Ben, ambos da raça Bedlington Terrier. Segundo as informações reveladas, o que se sabe é que o idoso foi flagrado cometendo um ato classificado como "perturbador" contra um dos animais, e em função de denúncia, a associação conhecida como Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA, ou "Sociedade Real para a Prevenção da Crueldade contra os Animais" em tradução livre) colocou em ação uma investigação.

Na busca por evidências, peritos coletaram amostras químicas corporais tanto dos cachorros quanto do homem, e de forma chocante, as análises laboratoriais revelaram que Gwynn possuía DNA canino em seu membro sexual, ao passo que os dois pets tinham vestígios de material genético humano nos seus corpos. Além disso, um exame realizado por um veterinário constatou que as relações entre o idoso e seus bichos de estimação deixaram os cães feridos.

Dificuldade na obtenção de provas

Na visão de Izzi Hignell, inspetora da RSPCA, o caso de Robert Gwynn foi "repugnante e horrível de investigar", e ela ressaltou que a coleta de provas em casos dessa natureza não é uma tarefa fácil – mesmo que Gwynn tenha sido visto penetrando o órgão excretor de um dos cães. Assim, Izzi disse que a confirmação de que os abusos sexuais contra os animais realmente ocorriam, obtida sem sombra de dúvidas através de exames de DNA, representa um marco histórico no País de Gales.

A inspetora revelou ainda que os cachorros Taff e Ben já se recuperaram do "tratamento vergonhoso" que recebiam do dono. Atualmente, os dois Bedlington Terriers estão sendo cuidados em um dos Centros de Animais mantidos pela RSPCA, e espera-se que eles sejam colocados para adoção em breve.

Os atos chocantes de Robert Gwynn foram julgados no Tribunal da Coroa de Newport (Newport Crown Court) na quarta-feira (23), e o réu se declarou culpado das acusações que lhe eram feitas. Além de ter perdido a guarda dos seus pets e sido proibido de possuir bichos de estimação pela próxima década, o agressor foi obrigado a pagar taxas que somam £ 615 (cerca de R$ 2.440) e recebeu uma "sentença suspensa" (suspended sentence) de três meses de prisão – no Reino Unido, o termo se refere ao tempo de detenção de no máximo 24 meses cujo início de cumprimento pode ser "adiado" por até dois anos, período este em que um condenado enfrenta a liberdade condicional, e caso as imposições estabelecidas no julgamento sejam cumpridas à risca, a pena em regime fechado é cancelada.