O crime bárbaro fez muito gente pensar se a norte-americana Taheerah Ahmad [VIDEO], de 39 anos, pode ser chamada de mãe. A mulher foi presa na cidade de Tusla, no estado de Oklahoma (EUA). Segundo informações da emissora ABC News, o crime bárbaro contra a filha de 11 anos, que foi praticado na noite do última dia 14.

De acordo com as informações, a criança de 11 anos, identificada como Hafsa, [VIDEO] ajudou a irmã de 9 anos a se libertar da mãe, que estava prendendo as filhas com uma corda. A menina conseguiu fugir e correu em direção a casa de um vizinho para pedir ajuda.

Enfurecida pela atitude da filha de 11 anos, a mulher pegou uma faca e lhe desferiu entre 50 a 70 facadas.

Depois disso, Taheerah ainda pegou uma picareta e bateu na cabeça da criança. Logo em seguida, ateou fogo na casa e fugiu carregando nos braços a filha mais nova de 8 anos.

A mulher foi presa no dia 15 e está sob custódia sem direito a fiança. Taheerah vai responder processo pelos crimes de incêndio proposital e agressão com intenção de matar. A menina de 11 anos, que foi resgatada por policiais durante o incêndio, permanece internada no hospital em estado crítico.

Em seu depoimento às autoridades, a Taheerah disse que praticou o crime porque não gostou da maneira como as crianças estavam lendo um livro e olhando de forma ameaçadora para ela. A polícia não soube explicar que tipo de livro as crianças estavam lendo.

Os exames médicos apontaram que a criança de 11 anos levou dezenas de facadas no torso, pescoço, braços, pernas, mãos e o rosto.

As investigações concluíram que Taheerah pretendia incendiar a casa para garantir que a menina de 11 anos não sobrevivesse ao incêndio.

Em depoimento à Polícia, a filha de 9 anos teria dito que, uma semana antes do ataque, a mãe teria forçado as filhas a ficarem trancadas em seus quarto sem água e comida. A menina também contou que a mãe ameaçou esfaquear quem saísse do quarto sem sua permissão.

Ainda de acordo com informações, no dia do ataque, Taheerah estava bastante transtornada e referiu-se a uma das filhas chamando-a de o ''diabo''. No dia em que Ahmad foi presa, um vídeo da emissora Tulsa KOTV detalhou o momento em que a mulher foi capturada.

As imagens mostram a acusada sorrindo para as câmeras quando foi finalmente presa pelos policiais. A filha mais nova apareceu brincando no carro da mãe.

Durante a prisão, a mulher se recusou a falar com os jornalistas. De acordo com Shane Tuell, sargento da polícia de Tusla, a acusada só foi localizada depois que duas mulheres a viram dirigindo um veículo pelo Cento da cidade. Em entrevista para o jornal Tusla World, Emily Wilson e sua amiga viram Taheerah depois de perceberam que havia uma criança de 8 anos dentro do carro e decidiram chamar a polícia.