Quando uma pessoa é mordida por cobra geralmente ela é encaminhada ao hospital para tomar o antídoto. Porém, o pensamento supersticioso [VIDEO] ainda prevalece em boa parte da população indiana. Uma moradora de Bulandshahr, na Índia, conhecida pelo nome Devendri, 35 anos, foi atacada por uma serpente venenosa ao coletar lenha para o fogão. Ao invés de ir ao hospital, o marido Mukesh sugeriu que ela fosse ‘tratada’ pelo encantador de serpentes do vilarejo, Murarey.

Ao invés de injeção e remédios, estrume animal.Isso mesmo, a indiana teve de deitar no chão e ser coberta por dejetos de vaca.Segundo o curandeiro os excrementos iriam sugar o veneno.Porém, o método não saiu como desejado.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

“As pessoas se reuniram do lado de fora da casa e observaram Mukesh [marido] enterrar completamente Devendri em esterco de vaca enquanto cantava mantras. Depois de 75 minutos Devendri morreu sufocada”, informa o jornal britânico Daily Mirror, edição de 2 maio.

Arrependimento

O companheiro da falecida lamenta o episódio e conta detalhes à imprensa. Diz que antes de aderir ao bizarro [VIDEO] ‘tratamento alternativo’ tentou outros métodos.

"Nós experimentamos alguns remédios, um pó moído e amarramos uma corda em volta do braço dela. Mas o encantador de serpentes nos aconselhou a cobri-la com estrume de vaca, assim o fizemos. O encantador de serpentes estava confiante de que poderia ajudar. Nós a deixamos no excremento de vaca por 75 minutos”, conta Mukesh.

O marido demonstra arrependimento ao acreditar no peculiar tratamento a base de dejetos de vaca. “Eu nunca pensei que ela morreria, eu realmente pensei que ela sobreviveria, e funcionaria.

Eu nunca pensei que isso iria acontecer”, lamenta.

Conforme o Daily Mirror, o encantador de serpentes admitiu que Devendri morreu sufocada pelos estrumes. Possivelmente a mulher estava com dificuldade respiratória em decorrência do veneno. “Sou conhecido nessa área por tratar mordidas de animais. Acho que a serpente era uma cobra. E sim, ela morreu porque foi enterrada”, comenta Murarey.

O curandeiro não foi preso porque às autoridades desconhecem o caso. “Não temos conhecimento desse incidente na estação. Ninguém relatou nada ou apresentou uma queixa”, explica o policial Anand Veer.

Ao que parece, o viúvo terá de aprender a cuidar dos cinco filhos menores de idade, sozinho. Se tivesse ido ao hospital possivelmente não seria capa de jornal.