É possível que você cause a sua própria morte se beber muita água em um curto período de tempo? Por mais bizarro que possa parecer, a resposta para essa indagação é um sonoro "sim", e um incidente que ilustra esse cenário aconteceu recentemente na Inglaterra [VIDEO], depois que uma mulher ingeriu mais líquido do que deveria enquanto estava em uma corrida.

Segundo informações dos sites Mail Online e Metro, tudo aconteceu quando a britânica Johanna Pakenham, de 53 anos de idade, participou de um evento anual chamado Maratona de Londres, que em 2018 ocorreu no dia 22 de abril.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

Naquela data, a temperatura local chegou a mais de 23° C – algo que pode ser considerado quente para os padrões climáticos ingleses nesta época do ano –, e Johanna traçou a estratégia de se hidratar bastante durante a competição, de modo que conseguisse completar todos os 42 km de percurso.

Percebendo que algo estava errado

Enquanto corria, Johanna Pakenham parou em dezenas de estações de reidratação existentes ao longo do caminho estabelecido para a maratona, e bebeu pelo menos 12 garrafas d'água. A prova foi concluída pela esportista depois de seis horas e 45 minutos, e enquanto a mulher dirigia de volta para casa juntamente com o parceiro Richard e a filha Emma, os seus acompanhantes perceberam que havia algo estranho [VIDEO], pois ela aparentava não estar se sentindo bem.

Quando chegou ao domicílio, Johanna sofreu uma convulsão massiva e parou de respirar. Emma rapidamente ligou para o serviço de emergência, e Richard realizou manobras de reanimação cardiopulmonar (RCP) enquanto a ambulância ainda estava a caminho.

A maratonista foi levada ao Hospital Winchester, na Inglaterra, onde entrou em coma por dois dias e ficou internada na ala de tratamento intensivo.

A causa do problema

O que aconteceu com Johanna foi uma condição chamada hiponatremia, que ocorreu quando os níveis de sódio – um eletrólito (ou substância condutora de elétrons) que ajuda a regular a quantidade de água que está dentro e ao redor das células – do sangue dela caíram a um nível anormalmente baixo por causa da hidratação em excesso.

Eventualmente, a maratonista acabou saindo do coma e acordou durante um pequeno período de tempo, mas só voltou a si mesma vários dias depois do incidente.

Johanna se recuperou já retornou para sua casa, e revelou que "as coisas começam a ficar nebulosas" ainda no meio da corrida. Ela contou que se lembra nitidamente apenas de ter começado a prova, e que nos 400 metros finais notou que estava cambaleante – fora isso, a memória dos outros eventos ficou "embaçada".

Depois do grande susto, a mulher decidiu usar a experiência pela qual passou para alertar as pessoas sobre o perigo que a hiponatremia pode representar. Além disso, ela consultou especialistas em cardiologia e fez testes de acompanhamento médico, sendo que até o momento não há indícios de que a sua Saúde tenha sido permanentemente afetada.