Uma professora acusada de manter um relacionamento sexual com uma estudante de 17 anos [VIDEO] foi morta a tiros na garagem da casa de sua mãe, no domingo (13), quando se comemorou o Dia das Mães.

A vítima, identificada como Rachel DelTondo, de 32 anos, foi morta a tiros por volta das 22h30, em Aliquippa, Pensilvânia, nos Estados Unidos, ao voltar para casa depois de tomar sorvete com um amigo, disseram familiares da professora.

Vizinho relata que ouviu em torno de 6 tiros

De acordo com a Polícia, a vítima foi alvejada com vários tiros. A maioria dos disparos acertou a região do tronco da vítima. Nenhum suspeito de ter cometido o crime foi preso.

Segundo relatos de um vizinho de Rachel, ele ouviu em torno de seis disparos de arma de fogo. De acordo com informações da imprensa local, a vítima era professora [VIDEO] na Pennsylvania Cyber Charter School até o ano passado. Porém, ela foi suspensa depois após de ser descoberto que mantinha um caso amoroso com um dos alunos da escola.

Um relatório policial do incidente revelou que professora foi flagrada por policiais com o aluno por volta das 2 horas da madrugada em um carro estacionado perto do Hospital Aliquippa. O site The Beaver Countian tornou o caso público após receber um e-mail anônimo contendo um relatório do Departamento de Polícia de Aliquippa sobre um incidente envolvendo a professora e o aluno, que supostamente ocorreu em 6 de fevereiro de 2016.

O caso foi revelado há sete meses, quando Rachel foi suspensa da escola.

“Anexo, você encontrará um relatório policial descrevendo um incidente em que uma professora da escola Cyber foi presa com um ex-aluno em um veículo”, dizia parte do e-mail enviado ao The Beaver Countian.

Professora é flagrada por policiais com aluno dentro de carro com janelas fechadas

O relatório, que teria sido escrito por um oficial de Aliquippa e depois enviado para o site, descreveu que a professora estava dentro de um carro estacionado com janelas fechadas ao lado de uma estudante dela de 17 anos.

O relatório apontava que a professora não queria que seu noivo soubesse que estava com um adolescente, alegando que era apenas um amigo. Segundo relatos, a mulher foi avisada pelos policiais que havia lugares melhores para conversar com um ex-aluno.

Embora Rachel nunca tenha sido condenada pelo incidente, ela foi suspensa em novembro de 2017. Na época, a professora alegou que o aluno era apenas um amigo, acrescentado que tinha recebido ameaças de morte após o vazamento do caso.

Nessa terça-feira (15), o promotor David Lozier disse que ainda não há suspeito de cometer o crime, acrescentado que os investigadores têm um celular em mãos e as informações desse telefone estão sendo investigadas.

Leia também

Professora gata é presa por seduzir e tirar virgindade de aluno em motel