A tensão mundial ganhou mais um capítulo graças ao governo de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos. O controverso líder da potência norte-americana decidiu tomar uma decisão arriscada em relação ao pacto nuclear que o governo Obama havia feito com o Irã.

E o próprio ex-presidente Barack Obama decidiu fazer um raro pronunciamento. De acordo com ele, o abandono do Acordo Nuclear poderá acabar encorajando um "regime já perigoso".

Em sua página do Facebook, o 44º presidente dos Estados Unidos falou sobre a rejeição de Donald Trump em relação ao acordo internacional, um verdadeiro retrocesso à política de união que vinha sendo implantada pelo governo democrata na era Obama.

Segundo ele, colocar o acordo em risco sem qualquer violação dos iranianos é um "erro grave" [VIDEO].

Obama ainda usou o espaço para criticar de forma mais ampla a diplomacia internacional adotada pela Casa Branca no governo atual.

Segundo ele, o grande desrespeito em relação aos acordos feitos pelos Estados Unidos com outros países está "corroendo a credibilidade [VIDEO]" dos americanos, colocando o país em um verdadeiro desacordo com as outras potências mundiais.

Ele ainda falou sobre a atual situação com a Coreia do Norte, com quem aparentemente a paz se aproxima. O ex-líder do país do Tio Sam afirmou que todos torcem pela paz com a Coreia do Norte por meio da diplomacia, mas abandonar o acordo nuclear com o Irã acaba anulando todo o resultado conquistado com a nação de Kim Jong-Un.

Obama criticou Trump mais uma vez, afirmando que o anúncio feito pelo ex-apresentador é "equivocado".

Existem alguns críticos que acreditam que existe uma grande antipatia de Donald Trump em relação aos acordos feitos com outros países no Governo Obama e ele está tentando prejudicar o processo conquistado por ele.

Este acordo nuclear feito com o Irã inclui também a China, Rússia, Alemanha, Grã-Bretanha e França e foi assinado em 2015. Neste acordo, o Irã se comprometeu a fazer o uso da energia nuclear para fins pacíficos.

As líderes Theresa May (Grã Bretanha), Angela Merkel (Alemanha) e o presidente da França, Emmanuel Macron afirmaram em comunicado conjunto que receberam a notícia da retirada de Trump com preocupação.

Os líderes da Europa confirmam que irão manter o acordo assinado em 2015. Eles ainda lembraram que o acordo foi aprovado de forma unânime pelo Conselho da ONU e solicitaram que a responsabilidade fosse mantida.