De tempos em tempos, obras de arte centenárias precisam passar por uns "retoques", de modo que sua beleza original seja realçada novamente – uma das pinturas mais famosas do mundo, a "Mona Lisa", já enfrentou o processo repetidas vezes. No entanto, esse trabalho deve ficar a cargo de especialistas extremamente competentes, pois do contrário o resultado final pode ser catastrófico – exatamente como aconteceu recentemente na Espanha, segundo informações divulgadas pela rede hispânica de notícias ABC e pelo Daily Mail.

A "vítima" da restauração em questão é uma estátua representando São Jorge, a qual se encontra em um lugar de destaque no interior da igreja de San Miguel de Estella, localizada na cidade de Navarra. A escultura, que mostra o santo sobre o seu cavalo atacando um dragão, foi criada no início do século XVI (16) e colorida originalmente através do estilo conhecido como "policromo".

Por ter mais de 500 anos, a obra conhecida localmente como San Jorge de Estella já estava bastante deteriorada e precisava urgentemente ser renovada.

No entanto, como citado anteriormente, restaurações desta natureza devem ser feitas apenas por profissionais qualificados, e infelizmente o padre responsável pelo templo religioso pediu que o trabalho fosse conduzido por uma escola local de artesanato chamada Karmacolor Estella. Foi aí que as coisas deram (muito) errado.

Passando de obra de arte a item de "parque de diversões"

Conforme relatou a mídia internacional, um vídeo mostrando uma professora da Karmacolor realizando a restauração chegou a ser veiculado no Facebook da empresa, mas, segundo a rede BBC, a postagem acabou sendo posteriormente deletada.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Curiosidades

Na metragem, a artista afirmou que estava tentando manter todas as cores originais da escultura, de modo que ela fosse alterada "o mínimo possível".

Contudo, o policromo de séculos de existência foi lixado, e a estátua recebeu uma camada de gesso sobre a qual ocorreu a aplicação de três porções de tinta nova.

O resultado final acabou causando indignação tanto em líderes comunitários quanto em profissionais que lidam com arte na Espanha. Mikel Zuza, membro do Conselho de Cultura de Navarra – entidade que emitiu um comunicado onde afirmou que não foi consultada sobre a restauração –, classificou a intervenção como "infeliz" e disse que agora São Jorge e seu cavalo se transformaram em uma figura de um "carrossel de parque de diversões".

Zuza ainda acrescentou: "Imagino que ele [São Jorge] gostaria de galopar para fora de sua capela antes de concordar com isso [a restauração]. Que pena ele não conseguiu".

Especialistas agora irão analisar o trabalho desastroso para tentar descobrir se a modificação é reversível, ou se a obra de arte centenária foi danificada para sempre.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo