As chuvas fortes no Japão causaram um verdadeiro caos. Até o momento, já fizeram 49 vítimas e outras 48 pessoas estão desaparecidas, segundo a emissora NHK.

Mais de 1,6 milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas, seguindo orientação das autoridades que têm como objetivo manter a população em segurança.

As chuvas torrenciais pegaram a todos de surpresa e o resultado é catastrófico. Em 4 dias, as águas causaram enchentes, deslizamento de terra e já é considerado um evento “histórico”.

O sul e o oeste foram os mais afetados e o cenário registrado por câmeras é assustador.

E, infelizmente, as notícias não são nada positivas para os japoneses. A Agência Meteorológica do Japão já informou que as áreas mais afetadas sofrerão ainda mais com as fortes chuvas, neste domingo.

O primeiro-ministro Shinzo Abe já demonstrou preocupação com essas chuvas fortes que estão sendo consideradas as piores em décadas.

Hiroshima, Kyoto, Okayama, ilha de Honshu - entre outros - são os locais mais afetados, registrando o dobro da quantidade de chuva esperada para todo o mês de julho.

Essa notícia foi de conhecimento público na manhã da última sexta-feira (06).

Chuvas fortes causam dificuldades nos resgates

O secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga, informou que cerca de 48 mil profissionais estão auxiliando a população e prestando os primeiros socorros.

São bombeiros, policiais e exército japonês lutando contra o tempo e a força da Natureza para salvar a população. O maior problema que estão enfrentando, são os acessos bloqueados pelas águas, terra e destroços.

São muitos moradores refugiados nos telhados das próprias casas e o trabalho certamente vai continuar nos próximos dias.

Muitas casas desabaram e as mensagens não param de ser enviadas para as redes sociais: “As crianças não conseguem subir no telhado. A temperatura do meu corpo caiu. Por favor, nos resgatem rápido. Ajuda.”, foi o texto de uma mulher que reside em Kurashiki.

Segundo a mesma, as águas já estavam chegando no segundo andar de sua casa.

As autoridades ainda estão tentando convencer mais 3,1 milhões de pessoas a deixarem suas casas, segundo a Agência de Gerenciamento de Incêndio e Desastres.

O esforço dos profissionais é para encontrar as pessoas desaparecidas.

São pedidos de socorro partindo de muitos locais das cidades atingidas e resta ao mundo torcer para que as chuvas fortes no Japão cessem e a natureza lhes dê uma trégua.

Siga a página Natureza
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!