Adolescentes e técnico de futebol desapareceram dia 23 de junho ao entrarem na caverna Tham Luang na Tailândia para se protegerem da chuva. Apenas dia 02 de julho foram encontrados por dois mergulhadores britânicos, que providenciaram comida e medicamentos para o grupo, que é composto pelo técnico Ekkapol Janthawong, com vinte e cinco anos e doze jovens entre onze e dezesseis anos. Todos se encontram saudáveis, apenas sentindo os reflexos da falta de alimentos. Não há desidratação, por terem encontrado água no interior da caverna.

Publicidade

Equipes de resgate atuam no local para encontrarem estratégia viável para retirada dos meninos e técnico

A caverna possui estrutura complexa, com ramificações e passagens estreitas. Acredita-se que o local onde as vítimas se encontram esteja há um quilômetro de profundidade e três quilômetros de comprimento, sendo que a água é lamacenta. As equipes de resgate envolvidas chegaram ao consenso de três possibilidades de salvamento que envolvem o menor risco: perfurar o solo para chegar onde estão, drenar a água da caverna e guiar o grupo pelas águas através de técnicas de mergulho.

Fazer a perfuração do solo é uma tarefa muito difícil por causa da profundidade de um quilômetro entre a superfície e o ponto onde se encontram. Para que possa ser feita, seria necessário encontrar alguma fissura dentro caverna com conexão ao ponto onde os meninos e técnico estão localizados, algo que ainda não aconteceu. A estratégia adotada desde o início do resgate é a retirada da água, chegando a dez mil litros por hora. Um grande volume já foi retirado (quase metade), mas ainda não é possível que o grupo deixe o local sem utilizar equipamentos de mergulho.

Publicidade

Para causar preocupação, estão previstas fortes chuvas para o dia 6 (sexta).

Ao mesmo tempo, os mergulhadores presentes no local ensinam as técnicas de mergulho aos jovens e planejam retirá-los de forma gradual. Os que se encontram em melhor estado de saúde física e mental iriam primeiro. Mas essa questão está sendo analisada para que as ameaças sejam diminuídas ao máximo, pois eles também não sabem nadar, o que intensifica ainda mais os riscos.

A necessidade iminente de resgate se dá pelo fato da presente estação ser chuvosa, onde o nível da água pode se elevar, mesmo com a retirada da água sendo feita constantemente pelas bombas.

A decisão do que realmente será feito deverá ser tomada nos próximos dias.