Quando pensamos em trampolins infláveis do tipo "pula-pula", surge de forma praticamente automática na mente a ideia de que o aparato não representa riscos para as crianças, uma vez que é projetado justamente para amortecer as "quedas propositais" dos pequenos, e para dissipar o excesso de ar que o preenche de forma segura. No entanto, de acordo com informações divulgadas pela rede BBC e pelo Daily Mail, um exemplar deste tipo de brinquedo explodiu recentemente na Inglaterra, e infelizmente causou a morte de uma garotinha de apenas três anos de idade chamada Ava-May Littleboy.

O trágico incidente se deu na manhã de domingo (1), quando a menina, juntamente de sua mãe Chloe (25) e outros familiares, foi até a praia de Gorleston, situada no condado de Norfolk, para aproveitar a onda de calor que atualmente influencia o clima daquela região britânica. Mais especificamente, o acidente aconteceu em uma seção da praia conhecida como Bounce About, onde estão instaladas algumas diversões infláveis.

No momento da fatalidade, Ava brincava sozinha no pula-pula azul que apresentou o catastrófico defeito, tendo sido levada até ali por uma de suas tias.

Segundo testemunhas oculares, de repente houve um ruído de explosão muito alto que partiu do trampolim, e algumas pessoas viram a garota ser "catapultada" no ar, subindo a uma altura estimada de seis metros e caindo na areia com força.

Desespero e tentativa de socorro

Assim que Ava-May atingiu o solo, um salva-vidas que se encontrava próximo aos brinquedos infláveis correu até a vítima. O público que presenciou a cena agiu de forma exemplar, e embora houvesse um clima de desespero na praia, os frequentadores de Gorleston mantiveram distância da menina acidentada para não atrapalharem qualquer procedimento de emergência que seria tomado, e as autoridades foram rapidamente acionadas.

Em apenas alguns minutos o resgate chegou à ocorrência, sendo que, neste meio tempo, uma jovem que estava no local se encarregou de realizar manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) em Ava, visto que a criança não apresentava sinais vitais.

Os paramédicos prontamente assumiram a situação e tentaram reanimar a garotinha. A pequena vítima foi levada às pressas para o Hospital James Paget, situado nas redondezas, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Conforme revelou a BBC, a polícia de Norfolk divulgou a informação de que uma autópsia conduzida na segunda-feira (2) a mando do Ministério do Interior britânico (Home Office) concluiu que Ava morreu devido a um traumatismo craniano resultante da sua queda, mas as autoridades afirmaram que mais investigações serão necessárias para haver uma confirmação definitiva.

O empresário que é dono do brinquedo defeituoso, Curt Johnson (47) – o qual não estava na praia na hora do acidente –, disse que atua em Gorleston há anos, e que algo do tipo nunca havia acontecido. Para o homem, o inflável pode ter explodido devido ao calor que fazia no momento da tragédia, e ele acrescentou que sente um profundo pesar pelo ocorrido, dizendo: "Estamos em pedaços e totalmente devastados, não podemos dormir, não podemos comer, nos sentimos mal até a alma".

A família de Ava-May está sendo reconfortada por oficiais treinados para lidar com este tipo de situação, e a área do incidente foi isolada, de modo que as autoridades possam analisar apropriadamente todos os aspectos envolvendo tanto a explosão do brinquedo quanto a consequente morte da menina.

Siga a página Curiosidades
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!