Dois bombeiros na Venezuela poderão pegar até 20 anos de prisão. Identificados como Carlos Varón Garcia, de 46 anos e Ricardo Prieto, de 41 anos, eles gravaram um vídeo chamando o presidente Nicolás Maduro de "jumento". Na ocasião, eles andam com o animal dentro da Corporação, fazendo uma espécie de visita. Quem está gravando o vídeo começa a narrar a visita do animal, como se fosse o presidente Nicolás Maduro.

O vídeo, assim que foi postado, viralizou e chegou até o conhecimento de Maduro.

Ainda no vídeo, eles dão boas-vindas ao jumento durante a narração. Os dois bombeiros foram detidos ainda na Corporação de Apartaderos pela Contra-Inteligência Militar, que é um dos braços do Governo para manter a ordem no país. A acusação contra os dois bombeiros é de "incitação ao ódio". A lei prevê punições severas para quem agredir, insultar ou intimidar funcionários públicos.

Ainda nesta terça-feira, em entrevista para a imprensa internacional, Maduro ficou irritado ao ser questionado sobre o que achava da punição para os dois bombeiros. Ele disse que esse assunto não cabia para o momento e portanto não iria responder a repórter. A abordagem foi feita após Nicolás Maduro discutir sobre as tensões diplomáticas com os Estados Unidos e Colômbia e discutir também o empréstimo feito da China.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Governo

Atitude criticada

ONGs como o Observatório de Direitos Humanos da Universidade dos Andes e o Fórum Penal Venezuelano criticaram a ação de Maduro. O governador Ramón Guerra, do estado de Mérida, também fez duras críticas ao governo. Ramón faz parte da oposição e pediu para que os direitos desses funcionários sejam respeitados.

A Venezuela sofre grave Crise econômica e Política. O país vê sua inflação subir e sua moeda desvalorizar perante o dólar.

O presidente Nicolás Maduro acusa os Estados Unidos e seus aliados de sabotarem o país. A ONU aponta que o crescimento da fome aumentou drasticamente na Venezuela e o êxodo humanitário do país já é um dos maiores da história da América Latina.

Recentemente Nicolás Maduro esteve na China a fim de obter empréstimos de dólares. Nos acordos, a Venezuela poderá fornecer petróleo pro gigante chinês. Além disso, pra China o acordo é favorável por ser um país anti-Estados Unidos.

Nesse momento, a China e os Estados Unidos enfrentam uma guerra comercial e isso poder de certa forma polarizar nações. Algumas delas serão beneficiadas com a guerra econômica, como por exemplo, o Brasil. As exportações brasileiras de soja tomarão o lugar dos americanos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo