Apesar do Canadá ser um dos principais países no mundo quanto ao quesito de atração de imigrantes, tal condição não é suficiente para suprir a escassez de mão de obra em muitos Negócios e áreas de sua economia produtiva.

Por exemplo, a Cerpajo é uma fazenda localizada em Saint-Liboire, região leste canadense, e que produz milho, soja e vegetais, mas que segundo a proprietária Magali Dion, ela passa por problemas graves quando necessita contratar novos colaboradores ou como ela mesmo disse ao jornal El País, é preciso selecionar mais cinco empregados para que a fazenda consiga operar nos limites de normalidade produtiva.

Publicidade
Publicidade

O caso descrito acima não é crítico unicamente para Magali, uma vez que enquanto metade do globo luta para diminuir os índices de desemprego, o Canadá foge completamente a regra nesse aspecto.

Falta crônica de mão de obra no Canadá

Está em 5,60% a taxa de desemprego nesse país da América do Norte, que é o percentual mais baixo desde o ano de 1976. Em 2017 foram abertos 219 mil postos de trabalho, isto é, 1,2% superior a 2016.

Embora os indicadores sejam excelentes, os canadenses não consegue saber lidar com necessidade crescente de se preencher novas Vagas com trabalhadores no que diz respeito principalmente a determinados setores de sua economia.

Em outras palavras, há uma sobra gritante de vagas no Canadá.

Já se tornou uma constante o não preenchimento de vagas de trabalho na região conhecida como Colúmbia Britânica ou até mesmo em Nova Brunswick , mais especificamente juntos as fábricas de processamento de alimentos situadas nessa área.

Cidades e setores da economia mais prejudicados

Existe uma escassez crônica de caminhoneiros que transportem cargas em Manitoba; para Saskatchewan faltam operadores de instalações elétricas e para Québec são procurados incessantemente diaristas para plantações.

Publicidade

É fato que o Canadá precisa com urgência de mais mão de obra produtiva, que alimente a sua economia plenamente, a qual vem crescendo por oito anos seguidos, devendo fechar este ano ultrapassando a casa dos 2%.

É uma tremenda dor de cabeça para os empreendedores do Canadá, e pior ainda para os pequenos e médios empregadores, obter sucesso no preenchimento de suas vagas.

Não foi à toa que na última semana a Federação de Empresas Independentes do Canadá apresentou um relatório em que os números comprovavam que a escassez de mão de obra por lá só faz crescer.

Aproximadamente 430 mil empregos nas pequenas e médias companhias, no transcorrer dos últimos quatro meses, não foram ocupados por causa da ausência de candidatos.

Em 12 meses, os postos de trabalho não cobertos subiram de 2,9% para 3,3%, de acordo com a mesma federação composta de número superior a 110 mil empreendedores.

Conforme o relatório acima são os serviços de construção, agricultura e hidrocarbonetos, os mais prejudicados pela falta de trabalhadores.

Publicidade

Resumindo, chega a quase quatro em cada dez pequenas e médias companhias do Canadá, o problema crítico na contratação dos empregados dos quais elas precisam, concluiu um outro relatório atual por parte do Banco de Desenvolvimento de Negócios canadense.

Jocelyn Bamford, que é vice-presidente da Automatic Coating, empresa de Ontário que reveste oleodutos, os trabalhadores de outrora estão se aposentando e os empresários se encontram impotentes no que diz respeito a repor suas habilidades.

Publicidade

É de aproximadamente 21 dólares canadenses (ou R$ 61 ao câmbio atual) o salário médio por hora nas vagas disponíveis naquele país; entretanto Québec é um dos estados que mais fragilizados pela falta de trabalhadores, tanto que das 430 mil vagas faltantes, quase 118 mil são de lá.

População canadense está envelhecendo

O fenômeno de crescimento da economia do Canadá aliado ao envelhecimento dos seus habitantes são os principais propulsores da escassez de mão de obra. A reportagem do El País fez questão de realçar as soluções dadas pelos especialistas do mercado de trabalho local, a saber, a oferta de salários mais altos, mas, sobretudo, o incentivo à imigração.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, no mês de novembro do ano passado falou sobre o plano de três anos visando elevar o número de trabalhadores do estrangeiro no país. Para 2018 o Canadá receberá mais de 300 mil indivíduos. Para 2019, esse número será de 330 mil, e em 2020, 340 mil pessoas.

Vale destacar que existem por lá inúmeros programas para atrair trabalhadores temporários, e em 2017, o Canadá expediu 286 mil vistos para essa categoria.

Leia tudo