O cadáver de Heinz H. permaneceu intocado por 8 anos no apartamento em que ele morava. O corpo foi encontrado por acaso após um incêndio.

Heinz foi encontrado ao lado do seu cachorro, também morto, provavelmente de fome. O padeiro tinha 59 anos.

Os bombeiros arrombaram a porta do apartamento de Heinz para evacuação após um incêndio começar no último andar do residencial.

O mais incrível é que o carro do padeiro aposentado ficou na frente do edifício por 8 anos, e a caixa de correspondência estava abarrotada.

Mesmo assim, ninguém sentiu sua falta, mesmo não tendo o visto desde o ano de 2011.

O aluguel continuou sendo pago mesmo após morte

O proprietário do apartamento em que Heinz morava contou que o aluguel do padeiro foi pago todos esses anos, isso porque era debitado diretamente da conta onde Heinz recebia sua aposentadoria.

Como o aluguel estava sendo pago em dia, o proprietário não deu muita bola para a reclamação dos vizinhos de porta do padeiro que raclamavam de um cheiro estranho vindo do apartamento, e disse que provavelmente estava tudo bem pois o aluguel estava em dia.

O cheiro que incomodou alguns vizinhos era provavelmente do corpo de Heinz e de seu cachorro em decomposição.

Ao jornal alemão Bild, a vizinha do padeiro aposentado, Angelika, disse que suspeitou que algo pudesse ter acontecido e até comentou com outras pessoas, mas ninguém deu ouvidos para o pressentimento da moradora.

Angelika contou ao Bild que ela era um pouco próxima de Heinz. Ela o via quando passeava com seu cachorro todos os dias.

Conta, ainda, que os filhos dela adoravam o bichinho de estimação do padeiro aposentado. Além disso, quando se encontravam, ele dava doces aos filhos dela.

A vizinha de Heinz ainda contou que o padeiro deixou sua profissão pois estava sofrendo com uma alergia que o obrigou a se afastar do trabalho. Angelika chegou a acionar a Polícia, mas não adiantou, nem mesmo os agentes, que são preparados para diversas situações, conseguiram notar que havia um cadáver no local.

Eles alegaram que não sentiram o cheiro mencionado, e foram embora quando outros moradores disseram que o padeiro havia deixado o prédio sem nem ao menos averiguar com o proprietário do imóvel.

A vizinha de Heinz finalizou detalhando ao jornal que ele e a família não mantinham contato, e revelou que não recebia visitas de parentes. Isso contribuiu para que ele ficasse esquecido no apartamento por tantos anos, e só fosse encontrado por conta de uma fatalidade no edifício.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!