O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, promulgou, nesta sexta-feira (27), o pacote de US$ 2 trilhões que tem o objetivo de aliviar os impactos do surto de coronavírus na economia norte-americana.

"Quero agradecer aos democratas e republicanos por se unirem e colocarem os EUA em primeiro lugar", disse o presidente, pouco antes de assinar a maior iniciativa federal de intervenção econômica da história dos Estados Unidos.

De acordo com informações de jornais americanos, o pacote criado tem o intuito de inundar a economia com dinheiro em uma tentativa de conter ainda mais o impacto gerado pela pandemia.

Donald Trump faz exames

Durante o momento do avanço do covid-19, muitas reuniões foram mantidas pelo governo americano, inclusive uma envolvendo o atual presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro. Algumas fontes de notícias brasileiras deram ênfase ao coronavírus no país, dizendo até que o atual presidente poderia ter sido infectado, já que ele junto de ser assessores viajaram o mundo para fazer reuniões com outros países,

Mediante a essas especulações, Donald Trump fez exames logo de imediato. Pelas redes sociais e também por meios televisivos, o presidente dos Estados Unidos informou que não contraiu o vírus. Segundo ele, os exames foram realizados como meio de prevenção, já que ele não possuía nenhum sintoma do covid-19, que seria a tosse seca e a dificuldade respiratória.

Medidas emergenciais

Para evitar ainda mais a proliferação do covid-19 no solo americano, o governo de Donald Trump adotou algumas medidas para que outras pessoas não sejam infectadas, já que o índice de suspeitas no país cresce diariamente. Até o presente momento, viagens internacionais não estão acontecendo mais.

Essa medida de manter os vôos suspensos é para garantir a segurança dos americanos e dos turistas que chegam. Donald Trump afirmou que a situação de quarentena é essencial no país, já que muitas pessoas estão sendo vítimas do covid-19. O atual presidente prevê a normalização das atividades no país até as primeiras semanas da páscoa.

Bolsonaro se espelha em Donald Trump

Em diversas entrevistas, o atual presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, demonstrou o seu prestígio referente a forma que Donald Trump administra o país. Com isso, Bolsonaro está priorizando a economia do país, informando através de diversos ''slogans'' que a situação do Brasil precisa voltar para que a economia não fique precária no país.

De acordo com palavras ditas por ele, não há necessidades de fechar escolas por uma simples ''gripezinha'' ou ''resfriadinho''. A posição do atual presidente divide opiniões, ainda mais do Ministério da Saúde. Profissionais da área da saúde informam que esse não é o momento de retomar as atividades no país, já que o vírus está se proliferando rápido.

Não perca a nossa página no Facebook!