De acordo com informações do jornal Extra, um homem de 82 anos foi indiciado por homicídio culposo após uma “brincadeira íntima sadomasoquista” dar errado e acabar causando o falecimento de seu parceiro, um homem de 65 anos de idade. Segundo as informações do jornal citado, o homem era casado com uma mulher há 35 anos e os fatos descritos aconteceram na cidade de Houston, Texas, Estados Unidos.

É possível afirmar que Craig LaMell, a vítima, acabou falecendo após um mês do jogo íntimo imposto por Alan Bischof, que possuía contornos violentos. As informações destacadas foram fornecidas pelo jornal estadunidense NY Post.

Entretanto, o envolvimento de Alan na morte de Craig somente veio à tona alguns meses depois do ocorrido.

Conforme o indicado pelo Extra, Craig faleceu ainda no mês de dezembro de 2019 e o envolvimento de seu amante no óbito somente chegou ao conhecimento das autoridades competentes em abril de 2020. Logo depois que Alan se aposentou da empresa em que trabalhava, o ex-chefe do homem encontrou uma confissão em seu computador.

Os documentos encontrados pelo ex-chefe de Alan detalhavam como a morte de Craig aconteceu e também a natureza do relacionamento entre os dois. Ainda havia detalhes sobre as relações íntimas entre os dois homens nos arquivos e Alan relatava que os pedidos de agressão partiram de Craig, visto que se tratava de um fetiche pera ele.

Também nos documentos presentes no computador de Bischof, foi possível encontrar um trecho da “carta de confissão” em que ele se referia ao amante como um “bebê indefeso” enquanto o atacava. Outro ponto a respeito de toda a situação da morte de Craig é que ela chegou a ser fotografada e existem registros do homem caído no chão com sangue pelo corpo e no rosto.

Agressão é classificada como homicídio pela polícia

Ainda no ano passado quando o “jogo íntimo” entre Craig e Alan aconteceu, a vítima chegou a ser encontrada pelas autoridades na situação descrita. Na ocasião, ele foi encaminhado à emergência de um hospital, mas preferiu manter o seu vínculo com Alan em segredo.

Portanto, para não precisar expor o seu amante, Craig relatou que havia sido espancado pelo marido de uma mulher com quem havia se envolvido intimamente.

Após essa passagem pelo hospital, ele ainda conseguiu sobreviver e chegou a receber alta. Entretanto, pouco tempo depois acabou retornando à unidade de saúde com uma hemorragia no cérebro. Depois dessa segunda visita, Craig chegou a passar uma semana internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) até acabar falecendo, ainda no dia 2 de dezembro de 2019.

Atualmente, a defesa de Alan alega que a agressão foi consensual e ele chegou a ser solto depois de pagar uma fiança de U$ 50 mil.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!