O procurador- geral de Minnesota, Keith Ellison, anunciou nesta quarta-feira (3), que os outros três policiais envolvidos na morte do ex-segurança, George Floyd, americano negro de 46 anos de idade, em Minneapolis, serão denunciados por contribuir com este homicídio. Eles estão presos e foram identificados como Thou Thao, Thomas Lane e J. Alexander Kueng.

Por conta da morte de Floyd, dia 25 de maio, várias cidades dos Estados Unidos vêm sofrendo sucessivos protestos de cidadãos revoltados com as circunstâncias deste acontecimento.

O fator decisivo para o início dessas manifestações que já duram cerca de 10 dias, foi a veiculação de um vídeo nas redes sociais, mostrando o policial Dereck Chauvin, de 44 anos, ajoelhado sobre o pescoço de George Floyd.

O vídeo mostra também que Chauvin, preso antes de seus parceiros, não atendeu ao apelo do ex-segurança, dizendo que não estava conseguindo respirar. Chauvin teria sufocado Floyd por cerca de 10 minutos.

Quando foi levado para um hospital, George Floyd já chegou sem vida. Após visitar o local da morte de George Floyd, nesta quarta-feira, sua filha, Gianna, de apenas 6 anos, desabafou. "papai mudou o mundo".

Carregando cartazes, os manifestantes caminham pelas ruas de diversas cidades dos EUA, como Dallas, Nova York e Houston, demonstrando sua indignação com o racismo impregnado nas estruturas do país e com a violência policial.

Manifestantes cobram autoridades por George Floyd

Muitos manifestantes que pediam por Justiça para George Floyd decidiram por medidas mais enérgicas contra o estado.

Eles quebraram vidraças e também atearam fogo em viaturas de polícia.

As autoridades policiais têm empregado força, como uso de gás lacrimogênio e balas de borracha, para tentar dispersar as multidões, porém, não estão conseguindo. Outro recurso aplicado para conter os manifestantes é a ordem do toque de recolher, que também tem se mostrado insuficiente.

O site BBB News relembrou outros casos de negros mortos por policiais, como Michael Brown, em Ferguson, e Eric Garner, em Nova York, situações que resultaram na criação do movimento Black Lives Matter, em português “Vidas negras importam”.

Além de Chicago, Nova York e Boston, a Casa Branca também foi "visitada" pelos manifestantes.

Países da Europa também vêm sentindo o reflexo da morte de George Floyd. O Brasil também iniciou manifestações, protestando contra a morte do adolescente João Pedro, de 14 anos, morto recentemente por policiais do Rio de Janeiro.

Não perca a nossa página no Facebook!