O mundo das notícias é complexo, e histórias e imagens falsas costumam ser amplamente compartilhadas nas redes sociais. A equipe editorial da Blasting News identifica as informações enganosas e as fraudes mais populares toda semana para ajudá-lo a entender o que é verdade e o que é mentira. Aqui estão alguns dos boatos falsos mais compartilhados da semana.

EUA

Alegação: Barack Obama concedeu a Jeffrey Epstein a medalha da Liberdade em 2007

Fatos: Um artigo foi amplamente compartilhado no Facebook alegando: “Verificação de fatos: VERDADEIRO - Obama concedeu a Epstein a Medalha da Liberdade em 2007”. A imagem que acompanha o post mostra o magnata americano Jeffrey Epstein recebendo uma medalha do ex-presidente dos EUA. Epstein se declarou inocente em 2019 de acusações de tráfico sexual de meninas menores de idade.

Em julho de 2019, ele se matou em sua cela, onde aguardava julgamento.

Verdade: O artigo vem de um site satírico, FreedomFictions.com, como relata a Reuters. A imagem foi manipulada digitalmente. A Reuters relata que a foto original é de 2013 e mostra o então presidente americano Barack Obama dando a medalha ao ex-presidente Bill Clinton. O rosto de Epstein –tirado de uma foto de 2004, de acordo com a Reuters– foi inserido digitalmente sobre o de Clinton.

EUA

Alegação: Celebridades estão consumindo carne humana no “Cannibal Club”

Fatos: Uma lista de celebridades foi compartilhada nas redes sociais revelando membros do “Clube Canibal”, no qual celebridades consomem carne humana.

Os nomes mencionados são da cantora Katy Perry, a autora Chelsea Clinton, o apresentador da CNN Anderson Cooper e a atriz Meryl Streep.

Verdade: De acordo com a Reuters, este “Cannibal Club” é uma farsa que já foi esclarecida em 2018 e está ressurgindo recentemente. Como observa a Reuters, uma busca reversa de imagens mostra que o “clube VIP” é fictício.

O logotipo do local na busca reversa leva ao site do Cannibal Club (www.cannibalclub.org), um restaurante “especializado na preparação de carne humana”, que traz “a vanguarda da culinária experimental aos paladares refinados de elite cultural de LA”. No entanto, como foi esclarecido em 2018 pelo jornal indiano Bangalore Mirror e a Reuters, a foto da "equipe" destaca o fato de que este clube é uma farsa, já que as fotos vêm de bancos de imagens.

EUA

Alegação: Ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden disse que cristãos “violam os direitos LGBTQ simplesmente por existirem”

Fatos: Usuários do Facebook compartilharam uma captura de tela de uma notícia que afirma: “Joe Biden diz que os cristãos que acreditam na Bíblia violam os direitos LGBTQ simplesmente por existirem”.

Verdade: Como o Checkyourfacts.org menciona, uma pesquisa reversa de imagens prova que a captura de tela foi originalmente tirada de um artigo de 2015. O artigo foi publicado no site Now The End Begins, uma “editora cristã de notícias do fim dos tempos”. O artigo acrescenta que "de acordo com Joe Biden, o cristão americano que acredita na Bíblia, que leva a Bíblia ao pé da letra, está violando os ‘direitos’ dos LGBT ao confiar na palavra de Deus".

As supostas citações de Biden são baseadas em seu discurso feito em 17 de maio de 2015, em ocasião do Dia Internacional Contra a Homofobia e a Transfobia. A transcrição do discurso prova que o ex-vice-presidente dos EUA mencionou os desafios que os membros da comunidade LGBTQ enfrentam, incluindo a “condenação religiosa”, mas não destacou o cristianismo ou os “cristãos americanos que acreditam na Bíblia” como uma fonte desse isolamento, como relata o site Snopes. Assim, a transcrição prova que ele nunca disse que “os cristãos violam os direitos LGBTQ simplesmente por existirem".

ZIMBÁBUE/NIGÉRIA

Alegação: O presidente da Somália e seu vice tiveram uma briga que foi filmada

Fatos: Um vídeo foi compartilhado mais de 2.000 vezes nas redes sociais e teve mais de 150.000 visualizações desde o último dia 14 de agosto, de acordo com a AFP Fact Check.

Ele mostra uma suposta luta entre o presidente da Somália e seu vice.

Verdade: A luta que foi compartilhada nas redes sociais não mostra o presidente da Somália, mas sim o presidente e o vice-presidente da Câmara dos Deputados do país. A briga que vem sendo compartilhada aconteceu em 2015, conforme informa o AFP Fact Check. A legenda do vídeo original diz: “Confronto (...) entre o presidente e o vice-presidente da Câmara dos Deputados da Somália, Abdirahman Mohamed Abdillahi (Cirro) e Bashe Mohamed Farah”.

NOVA ZELÂNDIA

Alegação: Partido governante da Nova Zelândia mudou a lei para "forçar" cidadãos a tomar vacina contra o coronavírus

Fatos: A oposição do partido governante da Nova Zelândia, Advance NZ/New Zealand Public Party, publicou no Facebook no último dia 15 de agosto um vídeo que já foi visto mais 146.000 vezes, segundo informações da AFP Fact Check.

A legenda do vídeo diz: “Na semana passada, o partido Trabalhista apressou-se em aprovar uma mudança na lei em caráter de urgência para permitir que obriguem nossos cidadãos a serem vacinados”. O vídeo mostra a Ministra da Habitação da Nova Zelândia, Megan Woods, e a deputada Erica Stanford compartilhando informações sobre vacinação durante uma sessão parlamentar.

Verdade: O vídeo foi editado pelo atual partido de oposição da Nova Zelândia, conforme relata a AFP Fact Check. Uma filmagem do parlamento feita no último dia 5 de agosto foi utilizada e frases específicas foram editadas para sustentar as falsas alegações. A edição faz parecer que os políticos do governo estão falando sobre uma vacina “forçada” para os cidadãos, quando na verdade eles estavam discutindo um plano para exigir que pessoas que entram no país sejam vacinadas contra a Covid-19, como destaca a AFP Fact Check.

“O vídeo da New Zealand Public Party não representa de forma alguma a conversa que tive com Megan Woods e, portanto, é perigoso e enganoso”, disse Erica Stanford à AFP. “Cortando parte dos meus comentários e perguntas e usando respostas seletivas da ministra, parece que estamos discutindo a vacinação obrigatória para os kiwis, o que não foi o caso”, acrescentou. Além disso, o Ministério da Saúde da Nova Zelândia afirmou que a vacinação obrigatória vai contra a declaração de direitos do país.

FRANÇA

Alegação: Alemanha e Inglaterra confinam crianças com suspeita de coronavírus, sem o consentimento dos pais

Fatos: Publicações no Facebook afirmam que quando uma criança é infectada com o novo coronavírus na Alemanha ou na Inglaterra, ela é " automaticamente confinada na zona de quarentena, sem a necessidade de consentimento dos pais e sem a obrigação de informar onde ela está".

Algumas das publicações trazem um vídeo, publicado originalmente no YouTube, no qual uma mulher afirma que a Covid-19 agora é "um motivo" para tirar os filhos de suas famílias na Inglaterra e na Alemanha. "Os pais estão começando a se preocupar porque estão recebendo cartas da escola de seus filhos que informam que, se houver uma suspeita de caso de Covid-19 em seu filho, ele será isolado em um centro de quarentena, sem a permissão dos pais”, diz a youtuber.

Verdade: Segundo a AFP Fact Check, essa afirmação é falsa. Tanto na Alemanha quanto na Inglaterra, qualquer ação relativa a uma criança potencialmente infectada com o novo coronavírus deve ser realizada na presença de um dos pais ou responsável legal.

Além disso, em ambos os países a orientação do governo é que a quarentena ocorra, se possível, em casa, e não em um “centro de quarentena”.

BRASIL

Alegação: Começar o banho molhando a cabeça pode causar ataque cardíaco

Fatos: Publicação compartilhada no Facebook afirma que começar o banho molhando a cabeça pode causar um ataque cardíaco. “Por que ataques cardíacos ocorrem com mais frequência no banheiro? Isso foi escrito por um professor de medicina dos EUA na Malásia, que aconselha que as pessoas não comecem a molhar a cabeça e os cabelos ao tomar banho, porque essa é uma sequência inversa. (...) A maneira correta de iniciar o banho é começar molhando os pés, as pernas (...) isso é especialmente recomendado para quem é hipertenso, tem altos níveis de colesterol e até sofre de enxaqueca”, diz a legenda da publicação.

Verdade: Em entrevista à agência Aos Fatos, Agnaldo Piscopo, cardiologista e integrante da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo), diz que não há nenhuma evidência sobre a relação entre o início do ataque cardíaco e a forma como a pessoa toma banho. Segundo ele, quadros de parada cardíaca costumam ser precedidos por mal-estar, náusea e sudorese, o que leva a muitas das vítima a tomar um banho na expectativa de aliviar estes sintomas.

PORTUGAL

Alegação: Em meio à pandemia, deputados aprovam subsídio para pessoas LGBTI por estarem “mais fragilizadas do que os hetero”

Fatos: Publicação compartilhada no Facebook afirma que o parlamento português estabeleceu que “lésbicas, gays e afins estão mais fragilizados do que os hetero, face à pandemia, e manda que sejam apoiados”.

“Eu sinto-me discriminado por ser hetero. Então o meu colega gay, por o ser, vai receber apoio e eu não, quando ambos vivemos as mesmas dificuldades com a pandemia?”, continua a publicação.

Verdade: Segundo a agência portuguesa de checagem de fatos Polígrafo, a publicação faz referência à Resolução da Assembleia da República nº69/2020, aprovada em plenário no dia 10 de julho e que “recomenda ao Governo o apoio às associações e coletivos de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgéneros e intersexuais no âmbito da crise epidémica”. O texto, portanto, pede ao governo que garanta apoio às associações que prestam auxílio à comunidade LGBTI, e não a indivíduos.

ESPANHA

Alegação: Foto mostra papa Francisco beijando a mão do magnata David Rockefeller

Fatos: Publicação compartilhada no Facebook traz uma imagem do papa Francisco beijando a mão de um idoso judeu.

A legenda do post afirma que o idoso se trata do magnata americano David Rockefeller, "maçom de primeiro grau e membro vitalício do Clube Bilderberg”, instituição que busca “uma nova ordem mundial”.

Verdade: Segundo informações da agência espanhola de checagem de fatos Newtral, a foto da publicação foi tirada em 2014, durante uma visita do papa Francisco ao Yad Vashem, em Jerusalém, instituição oficial israelense criada em memória das vítimas do Holocausto. O idoso que tem a mão beijada pelo papa na imagem é na verdade uma sobrevivente do genocídio nazista.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Famosos
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!