Ana Karolina Lara Ferreira Fernandez, de 22 anos, mudou-se para Buenos Aires na Argentina para realizar o sonho de ser médica. A estudante brasileira, que cursava medicina no país vizinho, morreu na noite da última sexta-feira (4), após despencar do poço de um elevador em um prédio onde moram alguns de seus colegas.

Mãe de Ana

A mãe de Ana Karolina, Silvana Lara Ferreira, que é empresária, falou sobre o acidente da filha. De acordo com a mãe, Ana foi visitar um grupo de amigos para comemorar o resultado positivo de uma prova da universidade.

Após a reunião com os amigos, a estudante chamou o elevador para ir embora, no entanto o elevador não estava parado no andar onde Ana se encontrava e, sem perceber, ela entrou e acabou despencando do 13° andar.

Silvana relatou que é muito difícil acreditar e que em alguns momentos parece que tudo é mentira. Relata ainda que tudo é uma dor terrível e nenhum sentimento é capaz de explicar o que a família está vivendo.

Ainda de acordo com a mãe, Ana Karolina estava muito feliz e foi comemorar com seus amigos, pois havia gabaritado uma prova de patologia.

Chegada do corpo

O corpo da estudante não tem data para chegar ao Brasil. A burocracia nestes casos é grande e com a pandemia do novo coronavírus o processo ficou ainda mais lento. A família tenta agilizar o processo com o apoio do consulado em São Paulo e do Itamaraty. A documentação já foi enviada para as autoridades argentinas e a família aguarda a data do translado.

O custo do translado é bastante alto. O valor é de US$ 5 mil (cerca de R$ 25 mil). Para conseguir pagar os custos familiares e um grupo de amigos da estudante de medicina realizaram uma vaquinha. A mobilização virtual arrecadou o montante em menos de 12 horas. Ana Karlina será enterrada na cidade de Chapadão do Céu, no estado de Goiás, onde mora a sua família.

O sonho da medicina

Ana não é natural de Goiás. A estudante nasceu em São Paulo e mudou-se para o Centro-Oeste ainda criança. Devido ao alto custo de uma curso de medicina no Brasil, a estudante se inscreveu em um processo seletivo em Buenos Aires e, após conseguir a aprovação, mudou-se para lá. Fazia quatro anos que Ana vivia no país vizinho.

O sonho dela era se especializar e seguir carreira no Brasil ou em Portugal, país onde o avô mora. A morte de Ana causou uma comoção nas redes sociais e diversos amigos prestaram homenagens.

A universidade de Buenos Aires, que ministra aulas de forma virtual devido à pandemia do novo coronavírus, prestou sua homenagem em um momento de silêncio dedicado a ela.

Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!