Todas as pessoas fazem história o tempo todo e em todos os lugares! A sua história de vida, da sua família, do seu bairro fazem parte da história. Nós respiramos história o tempo todo.

Para escrever a história de uma pessoa temos que fazer as seguintes perguntas:

Qual é o seu nome completo? De onde você veio? Em quais lugares você viveu? Como eram esses lugares? A  qual família você pertence?

Mas para responder essas perguntas é necessário pesquisar, conversar com pessoas, ver fotos, ler diários, fazer levantamento das fontes históricas. Nada pode ser desprezado. Até um caderno de receitas faz parte da história das pessoas.

O historiador é quem investiga, colhe as fontes, analisa e depois escreve a história. Ele produz conhecimentos históricos. Uma das qualidades que esse profissional precisa ter é ser imparcial.

A história e geografia passaram a ser consideradas ciências no século XIX na Europa. Elas também passaram a fazer parte do currículo escolar nessa época. Foram introduzidas nas escolas e nas Universidades para serem ensinadas aos alunos e investigadas pelos pesquisadores.

A História Tradicional dominou o século XIX, sendo discutida, questionada e transformada durante o século XX. Assim, desse movimento de críticas e diálogos nasceu e se desenvolveu a História Nova.

A História Tradicional utiliza como fontes de estudo documentos oficiais e não oficiais escritos (leis, livros), valoriza os sítios arqueológicos, coleções de museus, moedas, selos, edificações.

Os melhores vídeos do dia

Os sujeitos da História Tradicional são reis, rainhas, líderes religiosos e políticos, generais, empresários. A História Tradicional estuda os grandes acontecimentos diplomáticos, religiosos e políticos do passado. Privilegia o estudo dos fatos passados que são apresentados numa sequência de tempo linear e progressiva.

A História Nova estabeleceu um diário crítico com esta forma tradicional de pesquisas e de estudar a história. A História Nova amplia as fontes de estudo, passando a utilizar também as fontes orais (entrevistas), fontes audiovisuais (fotografias, discos, filmes, programas de televisão), além de obras de arte, como pinturas e esculturas, tudo aquilo que é registrado da ação humana passou a ser considerado fonte da história. Todas as pessoas são sujeitos da história. A história não é feita apenas por atores individuais, mas também pelos movimentos sociais, pela classe dos trabalhadores, pelos estudantes e professores, pelo povo em geral. A História Nova preocupa-se também com os acontecimentos do cotidiano da vida humana, ligados à vida das pessoas.

A História Nova ocupa-se de tudo aquilo que homens e mulheres fizeram no passado e também fazem no tempo presente. Em resumo, todos nós estamos ajudando a construir a história, somos peças fundamentais para mudanças do presente e seremos lembrados no futuro. Os nossos atos estão sendo registrados nos jornais, revistas, internet, fotografias, vídeos, documentários e outros meios de registros que estão sendo usados na História Nova. #Educação