Salve a Sálvia! Se houvesse um antídoto contra a indesejável morte, na Antiguidade, essa fórmula estaria contida na bela plantinha. Gregos e romanos tinham a sálvia em altíssima conta, e acreditava-se que a erva poderia curar todos os males, uma verdadeira panaceia. Era corriqueiro, inclusive, pendurar raminhos de sálvia nas portas das casas para atrair fortuna e boa saúde.

Segundo uma, das muitas histórias sobre a planta, reza uma versão de que seu nome, sálvia, vem da palavra latina salvere, que significa estar em boa saúde.

Publicidade

Em tempos de fuga dos remédios cada vez mais caros, fortes e eficientes, porém mais cheios de químicas que curam 'matando' a busca por tratamentos alternativos e, de quebra, comprovadamente eficazes através de pesquisas sérias, é um alívio e uma esperança para todos nós.

A verdade é que hoje não se questiona mais o poder da sálvia, que, embora não seja, como se acreditava na Antiguidade, um remédio "para tudo", é certo que a planta pode fazer muito pela nossa saúde.

Vivemos cada vez mais tempo, remédios prolongam a vida...

Mas, e a qualidade dessa vida? Pense nisso. A natureza está aí, esperando que reconheçamos o seu poder, que é doado todo o tempo.

Cura que vem de dentro, cura natural, sem adicionar novos problemas de saúde aos que já possuímos.

Cientistas eslovenos descobriram que há um componente na sálvia que é altamente anti-inflamatório. O uso medicinal da planta é extenso: ajuda a curar feridas, melhora a digestão, sua ação antioxidante ajuda a melhorar o aspecto da pele e combate até mesmo o suor excessivo, pois atua no centro de controle do calor corporal, no cérebro. É muito indicada para pessoas que sofrem de hiperidrose, no auxílio ao combate do suor excessivo.

Publicidade

Contra Inflamações - Uso e Propriedades

Recentemente cientistas eslovenos isolaram o ácido ursólico da planta: "Descobrimos que ele é duas vezes mais potente que a indometacina (anti-inflamatório usado contra artrite reumatoide)." - diz Dea Baricevic, líder dos estudos.

A sálvia atua ainda retendo água nas células, o que previne a desidratação dos tecidos.

Segundo a farmacêutica Denize Polato, a sálvia age fazendo uma faxina no organismo, sendo útil também contra gengivites e faringites.

Um único porém: nem todas as pessoas podem utilizar a sálvia. Grávidas e mulheres que amamentam e epilépticos devem ficar longe da planta.

Dicas para aproveitar o melhor da sálvia

  • Problemas na garganta ou ferimentos? Despeje um copo de água fervente sobre 1 colher de sopa de folhas de sálvia. Abafe por cinco minutos e coe. A infusão pode ser usada em gargarejos ou mesmo aplicada sobre os ferimentos. Pode-se guardar a infusão em um vidro na geladeira e utilizá-la por até cinco dias, descartando depois.
  • Pés úmidos? Ferva 100 gramas de sálvia (folhas secas) em 3 litros de água, durante 10 minutos. Coe, coloque em uma bacia e faça um escalda pés. Aí é só relaxar, não custa nada tentar. Fica a dica.