As Comissões de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados eAssembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) irão realizar audiênciaspúblicas no Complexo do Alemão para discutir a situação das UPPs. A decisão foitomada na segunda-feira (6) após um dia de visitas na zona norte do Rio deJaneiro depois da série de mortes que ocorreram nos últimos dias na região.

O deputado Paulo Pimentel (PT-RS), presidente da CDHM daCâmara, disse que irá esperar a pauta de discussão que será feita porrepresentantes dos moradores e grupos em defesa dos direitos humanos e deveráser entregue até sexta-feira (10).

O presidente ainda afirmou que pretendeapresentar já na próxima reunião da Comissão, quarta-feira (8), o requerimentosolicitando a audiência que, segundo ele, deve ser realizada o mais depressapossível.

A visita da Comissão ao Complexo do Alemão foi antecipadadevido às quatro mortes que ocorreram na região nos últimos dias. O presidenteda Comissão da Câmara disse que ainda pretende voltar à comunidade algumas outrasvezes e criticou o sistema como está sendo executada a pacificação, afirmando queos PMs vivem em constante “tensão e stress”.

Pimentel conversou com familiares de Elisabeth Alves, vítimade bala perdida e que morreu dentro de casa na frente do filho de 6 anos naúltima quarta-feira (1º). O petista afirmou que foi informado pela família dasenhora que até o momento não houve nenhum contato do Estado. O presidente daComissão de Direitos Humanos da Alerj, Marcelo Freixo (PSOL), também esteve noencontro que foi realizado em seu gabinete.

Freixo informou que irá realizar duas audiências paradebater temas distintos. Primeiro pretende apurar denúncias de violação contraos direitos humanos e abuso de poder pela Polícia Militar no Complexo do Alemão.No segundo momento, discutirá as condições de trabalho dos policiais na comunidadecarioca.

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) também esteve nareunião e disse que a situação no Complexo do Alemão será apurada pela CPIinstalada há duas semanas e que irá apurar a situação de Violência contra negrose pobres no Brasil. 

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo