"Em 2018, acho muito difícil o Lula voltar e ter de novo aquele apoio que teve". Sem ficar em cima do muro, o senador José Serra (PSDB-SP) opinou a respeito de uma possível volta de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência do Brasil no próximo pleito. Em entrevista exclusiva a Roberto D´Avila, do canal a cabo GloboNews, o tucano falou sobre o momento político do país, o seu futuro na política e refutou qualquer possibilidade de pedido de impeachment.

Possibilidade constantemente ventilada nos debates políticos, a volta de Lula como um eventual quadro político do Partido dos Trabalhadores (PT) para tentar uma nova vitória em 2018 foi comentada por Serra.

"Olha, pelo que eu sei até bem pouco tempo atrás esse era o grande sonho do PT. Ir levando o governo da Dilma até o final e depois eleger o Lula novamente. Mas eu, sinceramente, não acredito. Eu penso que pelo Lula seria muito difícil voltar a alcançar todo o apoio que teve", avaliou.

Duas vezes candidato derrotado no segundo turno à presidência, em 2002 para Lula e 2010 diante de Dilma, o tucano fez duras críticas ao atual governo, que, segundo ele, é "fraco". Para Serra, nem a corrupção é maior problema. "Olha, o problema que eu vejo no governo não é a oposição, não são os casos de corrupção, não é a Lava-Jato e não é briguinha com o PMDB. O grande problema é que é um governo fraco. E quando uma gestão é fraca, todos querem gritar e ninguém está com a razão".

Impeachment

Mesmo crítico ao atual planejamento do governo Dilma, o senador é totalmente contrário a um eventual pedido de impeachment.

Os melhores vídeos do dia

"Estamos em uma democracia, e numa democracia a regra do jogo não é tirar o presidente quando ele vai mal. Se fosse parlamentarismo seria assim. Mas, infelizmente, não emplacamos esse sistema", disse Serra

Por fim, ele elencou situações que envolvem a "crise política" que vive o Brasil. "Não quero citar catástrofe, mas a crise é bem séria. Temos problemas de várias ordens. Economia, sistema político e uma polarização na sociedade sobre ser contra ou a favor do governo, coisa que eu jamais vi", finalizou.